BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 28 de jun de 2009

    INICIAÇÃO AO ESTUDO DA DOUTRINA ESPÍRITA




    Observando com atenção os comentários feitos por meio de e-mails, em Blogs, em sites, conversas com várias pessoas logo após palestras e por outros processos, fomos percebendo que este seria um bom momento para darmos a nossa opinião pessoal de como aqueles que se entusiasmam com a busca desse conhecimento, deveriam proceder, a fim de que percorram um caminho seguro para um estudo sério e sem fantasias sobre o assunto.

    Motivou-nos muito o fato de recebermos perguntas e comentários de espíritas que, ao nosso ver, não seguiram a ordem natural para obtenção desse conhecimento.

    Uma enorme quantidade de vezes, já constatamos isso, o problema começa nas próprias Instituições Espíritas. Nos critérios que adotam para divulgação e estudo da Doutrina.

    As opiniões podem divergir, evidentemente, apenas apelamos para o bom-senso daqueles que administram as Casas nos momentos mais importantes desse aprendizado, ou seja, a orientação dada nos primeiros passos dessas pessoas.

    Kardec, sob a influência dos bons espíritos, escreveu as obras básicas numa determinada seqüência e assim os foi editando.

    1º- Livro dos Espíritos
    2º- Livro dos Médiuns
    3º- O Evangelho Segundo o Espiritismo
    4º- O Céu e o Inferno
    5º- A Gênese

    Posteriormente nos deixou a obra “O Que é o Espiritismo”, o qual cremos que não foi elaborado posteriormente aos 5 primeiros casualmente.

    Estudando essas obras detidamente durante anos, e trocando informações com pessoas de todo o Brasil nos mais variados graus de entendimento da Doutrina, chamamos a uma conclusão que nos parece simples e a qual propomos que seja repensada por cada Entidade comprometida com o ideal da divulgação.

    Não ignoramos que muitas pessoas vieram a se tornar espíritas, até por terem contato com obras não espíritas, por meio de “romances” tido como espíritas, por terem suas dores morais e até físicas aliviadas ou curadas pelo contato com os Centros Espíritas. Inclusive por livros de autores não espíritas.

    Nossa opinião é simples: resume-se em pelo menos sugerir claramente que seja a Casa recomende que essas 6 obras sejam lidas e estudadas nessa ordem, porém começando pela que Kardec nos deixou por último... “O Que é o Espiritismo”, pelo seu conteúdo introdutivo e didático.
    Isso pode e deve ser feito, na nossa visão, na organização dos cursos internos, com a recomendação interna até aos palestrantes para que comentem a evidente vantagem de se agir desse modo, para garantir ao público o correto entendimento dos motivos pelos quais a Doutrina baseia-se na Ciência, na Filosofia e na Religião.

    Falamos isso porque:

    - observamos médiuns que não estudaram quase nada, ou até nem estudaram o Livro dos Médiuns, praticando suas mediunidades;

    - um sem número de espíritas com conceitos repletos de dogmas adquiridos de forma errônea, admitindo até milagres porém de uma forma velada (com responsabilidade das respectivas Casa Espíritas que freqüentam);

    - médiuns acreditando em tudo que os espíritos dizem (“não creiais em todos os espíritos”);

    - médiuns que “permitem” aflorar sua mediunidade sem nem saber o que é animismo (algo natural mas que precisa ser considerado pelo médium quando o mesmo é bem orientado);

    - existem em muitas Casas, a priorização das atividades assistenciais de caridade (tão necessárias) mas em detrimento da principal, os serviços mais urgentes e de profundidade de cada Centro, são os de fornecer instrução doutrinária de velhos e de novos adeptos, todos carentes, como nós, de conhecimento doutrinário, uma vez que havendo essa preocupação, por si só gerará muito mais facilidade na concretização e execução das demais;

    Lembrando Herculano Pires no seu livro “O Centro Espírita”:

    “A Casa Espírita é o centro de convergência de toda a dinâmica doutrinária. Nele iniciam-se os neófitos, revelam-se médiuns, comunicam-se os Espíritos, libertam-se os obsedados, educam-se crianças e adultos, estuda-se a Doutrina em seus aspectos teóricos e práticos, promove-se a assistência social a necessitados, cultiva-se a fraternidade pura que abre os portais do futuro.”

    Observamos muitas e muitas vezes, que dirigentes espíritas convivem, sem efetuar as corrigendas necessárias, com afirmações feitas abertamente por membros da Casa sobre conceitos oriundos de interpretações errôneas, com as quais não se “desgastam” em tentar corrigir porque “fulano é pessoa antiga na Casa” (antiguidade não traz conhecimento e sim o estudo) ou “essa mensagem veio por intermédio de cicrano que é um médium experimentado” (que não pega no Livro dos Médiuns há anos devido a essa pretensa “experiência”).

    Assumimos responsabilidades intransferíveis com as nossas consciências e só obtendo real conhecimento aceito pelo crivo da nossa razão, é que poderemos mudar o patamar de qualidade das nossas vidas e fazermos por merecer um futuro melhor.

    Sem perceber, muitas vezes vamos estamos “igrejificando” nossa Doutrina pela falta de estudo, substituindo-o por achismos e dogmas.

    Realmente Fora da Caridade Não Há Salvação e podemos ver isso com clareza em tudo que é modesto e feito com humildade e amor no coração... mas o bem precisa ser bem feito !

    A fraternidade precisa ser exemplificada e apenas como recomendação, sugerimos que vejam um trecho do filme “Os Órfãos”, cujo link com o YouTube está contido abaixo, feito provavelmente com escassos recursos mas com muita boa vontade:

    http://www.youtube.com/watch?v=3qaOYT0oWzE

    Abraços
    Reinaldo Macedo