BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 3 de nov de 2010

    POLÍTICA E ESPIRITISMO SE COADUNAM?

    Caro Jorge Hessen estou lhe escrevendo para esclarecer uma dúvida. Hoje tenho 20 anos de idade e desde os 15 devidos aos sofrimentos da vida, me apoio na Doutrina Espírita. Que por sinal tem me dado subsídios valiosíssimos para o melhoramento pessoal. E sempre preocupado com as minhas ações lhe formulo a seguinte pergunta.
    É possível ser espírita e ser político?
    Meu pai é político desde que eu nasci, e eu cresci nesse ambiente, no qual tenho certa paixão, um sentimento de compromisso assumido a muito. Não consigo me imaginar sem exercer alguma atividade que esteja envolvida com a política partidária.
    Acredito e agora como espírita ainda mais ,que a política é um meio de ajudar as pessoas, não o único mas é um.
    Como faço para conciliar os dois, visto que gosto de praticar a campanha do kilo, quero dar palestra e estudar a doutrina, gosto de participar da sopa. Não com o Intuito de obter benefícios, eu acho, mas que acaba colaborando para a manutenção de votos. Mas não faço como uma forma de levar vantagem, eu acho, não pelo menos consciente.
    Sinto que participar da Doutrina Espírita e lutar por ela é um dever e a política também. E praticar as obras assistências é uma caridade e principalmente um tratamento espiritual. Sei que o ambiente Espírita não é local de fazer política, nem quero citar alguma cosa feita em uma campanha política.
    O que fazer ???? Visto que ainda não fui candidato, mas pretendo.
    Fraternalmente;
    A....

    Caro A...........,
    Muita paz!
    Observa-se em suas palavras sinceridade e grande paixão pela militância política. Lembro que o Espiritismo não proibe absolutamente nada, apenas estabelece linhas de aconselhamentos em cujas regras , se não observadas com cuidado , vulnerabilizam a possibilidade da conquista da paz interior.
    Não conhecemos o seu passado, nem seus compromissos na área política, mas posso afiançar-lhe que existem outras maneiras menos arriscadas para colaborarmos com a sociedade , sem o contributo da política humana.
    Você tem o livre-arbítrio e deve usar da sua liberdade de optar pelo caminho que a sua consciência dita. Não esqueça de dar a César o que é de César e a Deus o que a Deus pertecence. 
    Se meu filho me dissesse as palavras que me escreveu (excetuando que nunca fui político na condição de pai) diria  para ele a mesma coisa: siga a sua consciência, ou seja,  nem estimularia , nem desanimaria a vontade dele , que nesse caso  deve ser respeitada sempre.
    Quanto ao tema política e Espiritismo ,  pediria para que lesse meus artigos sobre o assunto:

    http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/2010/02/politica-eleitoreira-ante-politica-do.html


    http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/2009/06/nao-ha-representantes-oficiais-do.html

    http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/2009/06/sera-que-os-espiritas-sao-pessoas-mais.html


    Saudações,

    Jorge Hessen
    http://jorgehessen.net
    http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com
    http://espiridigi.net