BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 22 de dez de 2016

    "Filho de mulher"


    Bom-dia prof. Jorge! Agradeço  sua fraternal atenção e seus esclarecimentos foram muito bons. Ainda uma pergunta : Em Mt 11.7-19 encontramos : ..."dos nascidos de mulher ninguém é maior que João Batista", dá a entender que Ele (Jesus) não nasceu de mulher; como o Sr. interpreta estas palavras? Obrigada!
    Magda


    Magda ,
    Muita paz!
    Estimada irmã,
    Estudei vários teólogos e especialistas no idioma hebraico como Russell Champlin, religioso e escritor estado-unidense, bacharel em literatura bíblica no Immanuel College, pós-graduado em novo testamento na Universidade de Chicago, e Phd. Em línguas clássicas na Universidade de Utah.  Russell afirma que  o termo filho de deus , narrado por  marcos é uma expressão que não pode ser derivada de qualquer compreensão judaica acerca do “messias”. O termo filho de deus, narrado por marcos, significa que Jesus era participante da divina essência. Jesus  é aquele que tem as propriedades de “asseidade” (do latim a-se-esse, aquele que tem vida em si mesmo, que é auto-existente, independente, participante da vida divina essencial).
    Dizendo ainda que Jesus também aparece no evangelho de Marcos como filho do homem, estando perfeitamente identificado com o homem, sendo homem verdadeiro, cujos sofrimentos foram reais… (…) Jesus, na qualidade de homem, andou em comunhão com Deus. Ou adotamos a tese simplista e de pouca lógica que Jesus era Deus e homem ao mesmo tempo, ou teremos que buscar nas orientações espíritas subsídios para interpretarmos a questão
    Ora Jesus não é nem Deus e nem homem conforme a compreensão usual deste termo. Porém, antes que você possa se assustar com estas minhas afirmativas, vou me apressar  em explicá-las. Um dos princípios básicos do Espiritismo é a evolução. Ora, o espírito inicia sua fase evolutiva na matéria, e segue, passando pelos reinos inferiores da criação, até atingir na faixa hominal a condição de operar sobre o seu próprio destino. Porém este não é o fim, e apesar de não termos informações completas de como a evolução se processa a partir do homem é certo que ele chegará à condição de espírito_puro, que segundo os espíritos disseram a Kardec, nesta fase eles não sofrem mais qualquer influência da matéria.
    É a condição de Jesus, que por suas virtudes, estava muitíssimo acima da humanidade terrestre. Jesus recebeu do Criador a missão de formar, orientar e governar a terra, e isso se deu desde o início quando este se desprendia da nebulosa solar há aproximadamente cinco bilhões de anos. Depreendemos deste fato que Jesus já era puro há aproximadamente cinco bilhões de anos, quando nós muito provavelmente ainda estávamos na condição de “simples e ignorantes” formando-nos nos reinos inferiores da criação. Portanto, nada mais lógico do que afirmar que se a condição humana em que nos situamos não é a última na escalada evolutiva, Jesus não pertence à raça humana; como disse Kardec, ele está muitíssimo acima da humanidade terrestre.
    Com isso repito para você minha irmã, que não quero dizer que Jesus  não tenha tomado quando de sua encarnação um corpo  semelhante ao nosso tendo neste, sofrimentos reais. Pela lógica que temos aprendido o superior pode vir ao inferior, o contrário é que nem sempre é possível. Quanto a Jesus não ser Deus, não vamos ceder muito  tempo com esse assunto, já que somos espíritas e sabemos disto. Ah! Indicamos excelente estudo feito por kardec no livro “Obras Póstumas”, sob o título: “estudo sobre a natureza do cristo”.
    Retomemos Russell champlin, conforme afirma a expressão filho que é uma expressão idiomática do hebraico e exprime o ser que possui a qualidade do substantivo que lhe segue. Assim, filho da luz quer dizer iluminado. Filho da paz significa pacífico.
    Portanto, filho de Deus é o ser que se divinizou. Divinizar não é tornar-se Deus, pois isso é impossível, é tornar-se participante da divindade no sentido de se integrar nela.  Dentro desse raciocínio filho do homem é o humano, o que contraria o que dissemos anteriormente sobre Jesus.
    Este conceito evoluiu de tal modo que ao tempo de Jesus filho do homem significava aquele que já teria se libertado do ciclo reencarnatório. Enquanto que filho de mulher expressava o homem ainda sujeito às reencarnações, filho do homem era o espírito que, terminada sua evolução nos mundos materiais não precisava mais encarnar (no caso único Jesus).
    Filho de mulher ,ou seja o homem sujeito a reencarnação , recordemos que foi a  frase de Jesus referindo-se a João Batista que como sabemos  foi  a REENCARNAÇÃO de Elias...percebeu ? 
    Observe que busco fonte fidedigna fora do Espiritismo sabendo que os Roustanguistas sempre se valem dessa passagem “filho de mulher”  para justificar que Jesus não era filho de mulher pois teria nascido de uma virgem e era uma aparência física (era uma espécie de “fumaça” ou um ser "fluídico", vaporoso tal como maníacos roustanguistas tentam  justificar.