BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 8 de jul de 2009

    Pergunta sobre preto velho etc etc

    Pergunta:
    Senhor Jorge Hessen : "Me tire uma dúvida, li seu artigo onde mostra Divaldo fazendo comentários acerca dos pretos velhos, quero saber o seguinte: ele diz q um preto velho é um espírito ignorante e sem luz, mas ele na sua prepotencia e ignorancia espiritual não tem conhecimento que os pretos velhos são uma falange que tem por missão vir ajudar os homens tendo alto poder de cura e além disso consolam fazem o papél de psicologos enfim fazem a verdadeira caridade e nao digo na umbanda pois existem outras instituiçoes religiosas como o vale do amanhecer e até mesmo certos centros espiritas como o socorrista de maria que tem o maior respeito e trabalham com os pretos velhos, por fim onde está o conhecimento espiritual maior ao nao saber q existem falanges do bem assim como a dos médicos do espaço como Dr bezerra de menezes Euripedes barsanulfo entre outros, enfim Divaldo nao estudou que os pretos velhos tem luz e que eles tiveram a missao de vir em ajuda aos homens??? so o que é kardecismo merece respeito e credibilidade?? me explique se puder pois achei muito arrogante e ignorante da parte do Divaldo fazer tais declaraçoes ele deveria estudar sobre tudo que fosse alem do kardecismo e deixar de ser bitolado em seus preconceitos concorda?

    Resposta :
    A propósito de suas dúvidas, afirmações e indagações esclareço que não concordo, absolutamente com suas ilações. Divaldo Franco é um irmão muitíssimo respeitado no meio espírita, não somente pela oratória brilhante que possui, transmitindo-nos os conteúdos da Codificação, mas pelos maravilhosos livros que psicografa, sob o impulso de eminentes Espíritos.
    A Doutrina Espírita nos ensina que o aspecto que as entidades desencarnadas assumem perante os médiuns humanos, quando se comunicam na Terra, pode variar infinitamente. Porém, a adaptação perispiritual é um fenômeno limitado ao padrão evolutivo, comumente usado pelos Espíritos Superiores, que não necessitam adaptar suas reais condições de superioridade evolutiva às posturas e linguagem de um preto-velho para transmitirem suas mensagens. Logo, essa maneira de intercâmbio não é a mais comum, porque, de modo geral, os desencarnados impressionam os instrumentos mediúnicos encarnados na forma em que efetivamente se encontram - no caso, pretos-velhos. Os espíritos elevados não participam, diretamente, de tarefas desta natureza. Dedicam-se a tarefas mais complexas, de maior responsabilidade, compatíveis com o adiantamento espiritual que já alcançaram, mas as supervisionam cuidadosamente, como se vê nos livros de André Luiz. Os Espíritos Superiores não se servem dessa propriedade para doutrinar Espíritos inferiores ou, ainda, servir de psicólogo para nós outros. Bem presunçoso seria aquele que pretendesse tê-los, constantemente, às suas ordens.
    Quando Divaldo diz que os pretos-velhos são “ignorantes”, isso não significa dizer que são “burros”, “idiotas”, “grosseiros” ou, ainda, “incapazes de uma boa ação”. São ignorantes no sentido de “alguém que não tem conhecimento por não ter estudado”. A luz que um Espírito emana, corresponde ao seu grau de evolução. Quanto mais luz, quanto mais evoluiu em conhecimento e moral. Os Espíritos bons e sérios, não são todos igualmente esclarecidos. Veja o caso de André Luiz: apesar de ser um Espírito sério e bom, “ignorava”, totalmente, os mecanismos da reencarnação, o fenômeno mediúnico, o mundo espiritual, etc. Logo, podemos dizer que, ao chegar ao mundo dos Espíritos, André Luiz era “ignorante”, isto é, ignorava as leis que regulam o espaço extra-físico. Entendeu, minha irmã? Por que, então, Bezerra de Menezes, Eurípedes Barsanulfo e outras tantas entidades espirituais, consideradas Espíritos evoluídos, não se manifestam como pretos-velhos? A lógica nos responde o que foi dito acima, ou seja, “Espíritos Superiores não necessitam adaptar suas reais condições de superioridade evolutiva às posturas e linguagem de um preto-velho para transmitirem suas mensagens. Ah! Mais um porém: Praticar o bem depende, única e exclusivamente, da vontade. Todo e qualquer Espírito, encarnado ou desencarnado, pode e deve praticar o bem, independentemente, da condição espiritual, sem, necessariamente, dizer-se adepto da Umbanda, da religião Calólica, Protestante, Espírita Kardecista, etc. Acontece porém, que cada religião tem seus fundamentos próprios e cada instituição religiosa instrui conforme seu conteúdo. Veja bem: Se um Espírito se manifesta como preto-velho, através de um médium que esteja assistindo um culto católico ou protestante, neste último principalmente, esse Espírito será reconhecido como “das trevas”, “satanás”, o que um Espírita Kardecista não concorda, absolutamente. Para nós, Espíritas Kardecistas, os desencarnados impressionam os instrumentos mediúnicos encarnados na forma em que efetivamente se encontram, conforme foi dito acima. Os pretos-velhos não têm conhecimento dos conteúdos da Doutrina Espírita. Logo, devem ser esclarecidos e não nos esclarecer, assim como os Espíritos esclareceram André Luiz ao chegar no mundo dos Espíritos.
    Para finalizar, Divaldo conhece bem os conteúdos da Doutrina Espírita e jamais diria qualquer coisa para ofender um irmão.-

    Fraternalmente Jorge Hessen