BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 24 de jan de 2011

    ANIMISMO, MEDIUNIDADE, INSPIRAÇÃO

    Senhor Jorge 
    a pouco tomei conhecimento do site que escreve, e me foi uma grata surpresa devido ao teor das mensagens e assuntos bastante relevantes e de interesse comuns, mesmo a quem não se intitule espirita. No meu caso sou Espirita a mais de dez anos, e estudioso da doutrina, mas me considero um aprendiz se comparado a alguns eruditos companheiros.
    Minha questão é de ordem mediúnica de inspiração, a qual sei como se processa na teoria, sendo imputado a este médium idéias que a principio não povoavam, mas em concomitância com seus conhecimentos. 
    Eu me intitulo um inspirado e escritor por vocação, embora não tenha nenhuma vaidade em publicar o que escrevo, mas ultimamente me ocorre que se escrevo artigos diversos, e temas que permeiam a moral humana e as mazelas que assombram os homens, certamente haverá de ter um objetivo para isso.
    As vezes duvido dessa mediunidade inspirativa, e pergunto se não poderia ser anímica apenas, criada pela mente minha e exacerbada pela minha adoração a doutrina.
     
    Abraços e muita paz
     
    H...........



    Caro H.....,

    Muita paz!
    Todos os escritores somos de alguma forma inspirados, sobretudo quando utilizamos a "pena" , abordando temas fincados a moral.  Qause sempre os Bons Espiritos estão conduzindo o raciocínio dos escritores morallizados , visando amainar os dilemas que muitos carregam sobre seus históricos de vida no cotidiano.
    Destarte, se a  inspiração é um canal pelo qual buscamos reforço para  escrever melhor o que queremos expressar em palavras para alguém, então, as idéias advindas ou não do "além", terão sua importância na razão direta do benefício que tragam para todos.  Lembrando aqui que os Bons Espiritos de "lá" não se aprisionam aos seus nomes ainda que como agentes inspiradores, posto que o que importa para eles são as essências da notícia veiculada através das letras e palavras que construimos.
    Diante do exposto respondemos o seguinte:
    "Como se certificar desse atributo?" aos poucos saberá separar  as idéias que lhes são próprias das idéias  "deles"
    Deveria eu levar adiante essas obras para conhecimento publico? Se  o conteúdo que produz escrevendo  acrescenta alguma coisa  aos conceitos espiritas , então  vá adiante, se não acrescenta muita coisa , então ,  nesse caso,  a decisão é exclusivamente sua. O Espiritismo precisa de colaboradores que reforcem a cada dia os preceitos contidos nas Obras de Allan Kardec.
    As obras são assinadas por alguns irmãos que me vem a mente no momento , e apenas deixo fluir os pensamentos.  Pelo que disse acima , um espirito que queira assinar uma idéia eu desconfio desse espirito. Se achar que vale o esforço da publicação , então assine seu próprio nome (Herber)e assuma a idéia, agindo assim  os espíritos de bem não ficarão zangados, não! Analise o conteúdo e contexto e avante!!.

    Atenciosamente,
    Jorge Hessen