BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 15 de mai de 2011

    MUNDO DE PROVAS E EXPIAÇÕES

    Desculpe Jorge Hessen tomar seu precioso tempo. Tenho assistido suas palestras bem como acessado seu site. Que Deus te abençõe por este trabalho grandioso.
    Fico até acanhado em fazer essa pergunta, mas tenho procurado ler os meios de comunicação em nossa área e continuo com a seguinte dúvida.

    Vez por outra ouço da tribuna o expositar falar que ´já estamos num MUNDO DE REGENERAÇÃO, aludindo a mensagem de Bezerra de Menezes através de D. P. Franco no último grande encontro esípírita no DF.

    Podemos então falar que não estamos num MUNDO DE PROVAS E EXPIAÇÃO?

    Perdão pela minha ignorância!
    Abraços
    T....
    Que Jesus abençõe nossos propósitos!

    T......, 
    Meu bom irmão,


    Creio que delongarei um pouco na resposta , sempre inspirado em Emmanuel, então vejamos: Antes de respondê-lo diretamente relembremos a classificação que divide os mundos em 5 principais categorias, conforme o grau de evolução material e moral dos habitantes destes planetas. Mundos Primitivos , Mundos de Expiação e Provas, Mundos Regeneradores, Mundos Felizes, Mundos Celestes ou Divinos.  

    No Mundo Primitivo ocorre a primeira fase dos planetas habitados. Serve de morada para as primeiras encarnações dos espírito. Podemos comparar este Mundo  à Terra na pré-história até o começo da civilização humana como conhecemos. Neste tipo de mundo não existe nenhuma vida moral, vivendo aí o homem como vivem os animais, só preocupado com a satisfação das necessidades materiais. A ignorância domina totalmente sobre o conhecimento e a moral.  No Mundo de Expiações e Provas  (é a situação atual da Terra), que nos oferece o exemplo de um dos tipos de mundos expiatórios. Os espíritos têm que lutar ao mesmo tempo contra a perversidade dos homens e a inclemência da natureza. O mal predomina sobre o bem, e consequentemente o sofrimento predomina sobre a felicidade. Os espíritos aí encarnados têm que expiar, ou seja, consertar erros do passado, de outras encarnações, e ao mesmo tempo passar por provações, cujo objetivo é fazer evoluir as qualidades do coração e da inteligência.
    Já o chamado Mundo Regenerado serve de transição entre os mundos de expiação e provas para os mundos felizes. É o próximo passo evolutivo em que a Terra passará e esta transição parece que está próxima mas não podemos afirmar que já chegou. É a reconstrução da sociedade sobre novos valores morais, em que o objetivo maior será a satisfação das necessidades básicas do ser humano. O bem predomina sobre o mal, e os espíritos do nosso planeta que não estiverem prontos para esta transição serão conduzidos para outros planetas (exílio), que estiverem na mesma fase atual da Terra, onde continuarão a sua evolução. No Mundo Feliz o bem supera muito a ignorância e no Mundo Divino é morada dos espíritos purificados, onde o bem reina e a ignorância não existe. São as últimas etapas reencarnatórias dos espíritos.
    Quanto ao processo de transição muito citado nas hostes espíritas atuais, recorro ao Espírito Emmanuel no livro A Caminho da Luz Cap 24 ensina que “há na Terra um movimento inédito de armamentos e munições. Teria começado neste momento? Não.  A corrida armamentista do século XX. As indústrias bélicas atingem culminâncias imprevistas. Os campos estão despovoados. Os homens se recolheram às zonas de concentração militar, esperando o inimigo, sem saber que o adversário está em seu próprio espírito. A Europa e o Oriente constituem um campo vasto de agressão e terrorismo, com exceção das Repúblicas Democráticas, que se vêem obrigadas a grandes programas de armamento, em face do extremismo.
    Onde os valores morais da Humanidade? As igrejas estão amordaçadas pelas injunções de ordem econômica e política. Somente o Espiritismo, prescindindo de todas as garantias terrenas, executa o esforço tremendo de manter acesa a luz da crença, nesse barco frágil do homem ignorante do seu glorioso destino, barco que ameaça voltar às correntes da força e da violência, longe das plagas iluminadas da Razão, da Cultura e do Direito.
    Convenhamos em que o esforço do Espiritismo é quase superior às suas próprias forças, mas o mundo não está à disposição dos ditadores terrestres. Jesus é o seu único diretor no plano das realidades imortais, e agora que o mundo se entrega a todas as expectativas angustiosas, os espaços mais próximos da Terra se movimentam a favor do restabelecimento da verdade e da paz, a caminho de uma nova era.
    Espíritos abnegados e esclarecidos falam-nos de uma nova reunião da comunidade das potências angélicas do sistema solar, da qual é Jesus um dos membros divinos. Reunir-se-á, de novo, a sociedade celeste, pela terceira vez, na atmosfera terrestre, desde que o Cristo recebeu a sagrada missão de abraçar e redimir a nossa Humanidade, decidindo novamente sobre os destinos do nosso mundo.  Que resultará desse conclave dos Anjos do Infinito? Deus o sabe. Nas grandes transições do século que passa, aguardemos o seu amor e a sua misericórdia.
    Sim! Ainda estamos no mundo de expiações e provas , por isso é o caso de nos perguntarmos e não havemos movimentado as energias maléficas, no decurso da vida, contra a nossa própria felicidade. Na Terra, onde a porcentagem de forças inferiores supera quase que esmagadoramente os valores legítimos do bem, a movimentação de fluídos maléficos é mais que natural; no entanto, urge ensinar aos que operam, nesse campo de maldade, que os seus esforços efetuam a sementeira infeliz, cujos espinhos, mais tarde, se voltarão contra eles próprios, em amargurados choques de retorno, fazendo se mister, igualmente, educar as vítimas de hoje na verdadeira fé em Jesus, de modo a compreenderem o problema dos méritos na tarefa do mundo.
    A aflição do presente pode ser um bem a expressar-se em conquistas preciosas o futuro, e, se Deus permite a influência dessas energias inferiores, em determinadas fases da existência terrestre, é que a medida tem sua finalidade profunda, ao serviço divino da regeneração individual. É certo que o planeta já possui as suas expressões isoladas de legítimo evangelismo, raras na verdade, mas consoladoras e luminosas. Essas expressões, porém, são obrigadas às mais altas realizações de renúncia em face da ignorância e da iniqüidade do mundo. Esses apóstolos desconhecidos são aquele “sal da Terra” e o seu esforço divino será respeitado pelas gerações vindouras, como os símbolos vivos da iluminação espiritual com Jesus - Cristo, bem-aventurados de seu Reino, no qual souberam perseverar até o fim.
    Os sacerdotes das mais diversas castas inventaram os manuais teológicos, os princípios dogmáticos e as fórmulas políticas; todavia, nenhum esforço humano conseguiu deslustrar a claridade divina do “amai-vos uns aos outros”, base imortal de todos os ensinos de Jesus, cuja luminosa essência identifica as castas entre si, em todas as posições e tarefas especializadas que lhes foram conferidas. Jesus não vinha trazer ao mundo a palavra de contemporização com as fraquezas do homem, mas a centelha de luz para que a criatura humana se iluminasse para os planos divinos.
    E a lição sublime do Cristo, ainda e sempre, pode ser conhecida como a“espada’ renovadora, com a qual deve o homem lutar consigo mesmo, extirpando os velhos inimigos do seu coração, sempre capitaneados pela ignorância e pela vaidade,pelo egoísmo e pelo orgulho. Entendendo, todavia, a questão à generalidade das provas; devemos concluir ainda, com o ensinamento de Jesus, que “o amor cobre a multidão dos pecados”,traçando a linha reta da vida para as criaturas e representando a única força que anula as exigências da lei de talião, dentro do Universo infinito.
    Abraços
    Jorge Hessen