BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 28 de jul de 2011

    PRÁTICAS ESQUISITÍSSIMAS NAS HOSTES ESPÍRITAS

    Antonia Salles Salles


    Prezado Jorge


    Oportuníssimo seu artigo. Grassa em nosso meio a palestra show, é lamentável os dirigentes de nossas casas tecer longos elogios para orador assemelhando-se a baba-ovos e depois o tribuno assome ao lugar de honra com destaque e começa o show, isso não é mais circunscrição de XXX há inúmeros seguidores. Eu que tenho viajado por Brasília, no interior de Goiânia, Nordeste etc há um frisson de modelo XXXdista.
    Um contra-senso na história do Espiritismo,sem falar de outros vicíos como tudo cobrado e uma preocupação excessiva Drº ou Drª, não basta mais o companheiro simples que lutou a vida toda para a realidade do Centro, que materializou por meio de enormes sacrifícios o sonho da casa em prol do próximo, infelizmente ele não detém em suas conquistas pessoais nenhum título acadêmico, fala até algumas palavras erradas, então , é carta fora do baralho nesses eventos que você tão bem denominou grandiosos, deveria sim ser grandiosos de alegria espiritual, muitas vezes não são convidados à mesa porque poderia enfumaçar com singela da alma o brilho fogo-fátuo das ilusões terrestres.inda continuo insistindo no brilhante artigo de Glória Kalil sobre ser chique muito pertinente às nossas hostes espíritas.
     A verdade ninguém é espírita por decreto e conseguir vencer a si próprio não está à venda. equilíbrio é um deles. Para ser um orador sintonizado com as esferas superiores precisa-se muito mais do que uma excelente impostação de voz e ternos de griffe , O que faz um bom orador? Estudo perenemente e o seu comportamente refletirá se os conteúdos foram internalizados.
    Até essa mulher elegante Glória Kalil defini que a pessoa chique demonstra sua finesse por intermédio de suas atitudes perante a vida, uma delas falar baixo. Até uma senhora dessa que vive no glamour teria um ataque histérico se tivesse conhecimento espírita e assistisse o desfile de ridículo que hoje tornou-se comum nos encontros espíritas. Sem falar na fileira de grandes artistas que são acusados de estarem pintandos telas com imagens primárias como fosse possível o espírito retroceder pelo simples fato de estar no mundo espiritual. Já assistiu um desses espetáculos? Renoair, Rembrandt mais alguns segundos Van Gohc, Monet etcÉ lamentável, sai de perto de pena da pessoa que dizia incorporar esses artistas eternos.
    Mas Glória Kalil pergunta o que faz uma pessoa chique? poderíamos parafrasear e indagar o que faz um verdadeiro orador?Atrair mesmo sem querer todos os olhares porque se tem brilho próprio, ser discreto na tribuna , falar sobre o tema proposto da noite em uma linha clara e objetiva,não fazer previsões inoportunas e nem dar um de clarividente todo poderoso que alcança até os consumo de todos os séculos, porque se o planeta está em transição tem gente torcendo para que exploda em catástrofes intermináveis, poxa, assim ratificar: não vaticinamos que a apocalipse do final dos tempos era uma verdade incontestável. Enfim ser elegante para o mundo é não exceder jamais , o que falar então, em uma tribuna espírita., honrar sua palavra, ser grato aos outros, ser gentil,carinhoso com todos.
    Presenciou um desses eventos o grande orador chegando e um séquito formando uma roda impedindo que as pessoas cheguem perto do astro maior. Parece coisa de hollywood. , isso quando se tem no meio criaturas tipo XWZ. Meu Deus apenas com muita tolerância para assistir o megaevento com plumas e paetês que a noite promete, isso em nome do Espiritismo. Sabe confrade isso parece uma doença minando a verdade da proposta espírita.
    Chique mesmo é não querer aparecer mesmo que seja o homenageado da noite. Estamos compartilhando dessa realidade nas festividades espíritas?e o diabo parece chique e se o inferno não tem nenhum glamour e nós espíritas sabemos que não podemos escamotear as a linfa pura do conhecimento doutrinário só nos resta esperar e fazer a nossa parte. Perdoa-me a prolixidade , mas adoro essa escrita de Glória Kalil e já a usei quando escrevi àquele doente que inunda a comunicação espírita de tantas babaquices. Estamos mal das pernas, esperar a sabedoria divina para agir.
    Meu forte abraço.
    Nunca recebi nenhum retorno da equipe de XXX de todas as indagações que enviei, pelo menos da equipe porque esperar uma resposta pessoal dele seria querer demais.