BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 2 de ago de 2011

    VENDILHÕES , O TEMA CONTINUA



    Jorge Hessen
    Prezado irmão em Jesus
    Muita paz.
    Parabéns pelo seu site, gosto muito de seus artigos e como estudioso e expositor (melhor dizendo, falador ) da Doutrina Espírita encontro também no site subsídios para falar. Gostei muito do artigo “Puritanos ou vendilhões?” Se possível, gostaria do link para ver no you tube a entrevista citada, que procurei mas não consegui encontrar.


    Me preocupo com os rumos que o movimento espírita está tomando, pois estão seguindo o caminho que levou às distorções do cristianismo, criando o ........ismo.

    Sempre gostei muito de ZZZ e ele é muito bem considerado pelos companheiros da sociedade espírita onde trabalho, aqui em ......... (chega a ser endeusado por alguns), sendo que tem vindo aqui quase todos os anos, fazendo mini-seminários, pois palestras não podem ser cobradas. Tem sido mantido o valor de R$ 30,00 e ganha-se um livro. Quase todas as despesas tem sido cobradas com doações, de modo que o que é arrecadado (embora pouco) é lucro e é transferido para a .......... Apesar do pequeno valor, não tenho ido nos seminários por me rebelar contra essa cobrança, pois para uma pessoa é pouco, mas se for o casal, já pesa mais. Alguns detalhes me chamam a atenção: indagando dos organizadores, companheiros da sociedade onde trabalho, do porque ZZZ falar pouco sobre a Doutrina Espírita, disseram que se fosse um evento sobre o Espiritismo não poderia ser cobrado, então os temas são psicológicos, parapsicológicos, autoajuda, com pitadas sobre o Espiritismo. No vídeo que me indicaste, ouve-se ZZZ falando da mediunidade como paranormalidade e que a faculdade mediúnica é orgânica; seria uma forma de desvincular o assunto da Doutrina Espírita e justificar as cobranças? Aliás, tenho notado nos livros, que o espírito .................... diz que a faculdade mediúnica é do Espírito, mas depende do organismo (o que está de acordo com Kardec), mas o espírito......diz que a faculdade é organica (o que na minha ignorância não concordo).

    Também ZZZ tem apoiado a questão das crianças índigo, que pelo livro dos psicólogos americanos não são, para mim, as crianças da nova geração que Kardec fala. Ele fala também da que o nosso sistema solar orbita em torno das plêiades, o que é contestado pelos astrônomos, e é uma idéia esotérica e não espírita, sendo que muitos companheiros espíritas colocam essa afirmação como uma comprovação da ciência, o que não é verdade.

    Como disse no início, sempre gostei muito de ZZZ, mas algumas colocações dele não me agradam. Claro que ele não é infalível, nem santo, mas se um pobre ignorante como eu noto algumas controvérsias, como ele ZZZ aceita? Vejo, pela opinião de muitos espíritas, que não penso sozinho, pelo menos se estou obsidiado, não sou só eu, se é que serve de consolo, mas fico triste pela situação e pela consideração que sempre tive por ZZZ.

    Desculpe a longa misssiva.

    Um abraço fraterno.

    K..........


    Caro K,

    Muita paz!

    Assisti o vídeo citado para subsidiar meus trabalhos sobre mediunidade e Jesus e eis que, logo após o intervalo, vejo e ouço do entrevistado a mais dura "chamada" aos espíritas que se preocupam com os rumos que o espiritismo vem tomando em relação à forma com que vem sendo divulgado, comercializado e elitizado (e eu denuncio isso há mais de 30 anos). Após tecer longa introdução acerca da mediunidade, já quase faltando poucos minutos para o término do programa, a mediunidade com Jesus, eventos pagos foi tratado brevemente. Chamando de puritanos, referiu-se assim aos que não concordam com a cobrança, principalmente da forma como vem sendo feita pelas instituições espíritas responsáveis pela boa divulgação da Doutrina.

    Creio que foi uma resposta ao movimento que tem sido feito contra a grandiosidade desses eventos e estranhamente o tema "mediunidade com Jesus", que consiste em nada mais nada menos que o exercício da mediunidade conduzida para o bem e para todos, foi usado para defender as tais cobranças, como se não fosse possível ponderar a respeito dos gastos com tantos eventos.

    Muito me entristeci ao ouvir a "chamada" do entrevistado, que defendeu com unhas e dentes o que sabemos estar em completo desacordo com a simplicidade que o espiritismo prega.Infelizmente o espiritismo das origens, tal como Chico pregava, parece não mais fazer sentido, nem mesmo para os mais nobres representantes do movimento espírita.

    Fiz um sondagem pela internet e percebi porque ele defende a tese absurda das cobranças. Para setembro está programado com o entrevistado num hotel 5 estrelas de ........... um"encontro fraterno por 3 dias" ao módico valor de R$. 1.630,00 , tem outro seminário (hotel 5 estrelas também ) para agosto ded 2011 em ............. sobre o tema planeta e transição pelo irrisorio preço R$. 1.430,00, Há um forum em ................. outro em ................ Sei que é duro escrever isso mas só não vê quem não quer....

    K procuro omitir nomes no artigo mas o Espiritismo perdeu o rumo definitivamente.

    Precisamos voltar à simplicidade preconizada pelo insigne Chico Xavier. Alguns leitores sabem que minha inspiração para os artigos contra os eventos pagos são justamente ZZZ um cidadão de nome XWZ(dono da .....).

    Os estudos sério da Doutrina espírita não endossam o que estamos presenciando no movimento espírita. Há muitos anos percebi um equívoco do rumo que os eventos em que os dirigentes e expositores optaram. Parecia à priori uma competição com outras religiões.

    Graças a Deus tive o ensejo de recusar uma participação em um Congresso Espírita de um Estado ao lado dos tribunos ZZZ e TTT devido a cobrança de taxas, minha esposa na época criticou-me dizendo que eu queria estar acima da própria proposta do conhecimento espírita porque se ZZZ e TTT fossem se preocupar com isso não levariam a mensagem de consolo a milhares de pessoas. Nunca me convenci de que este era o caminho mais correto.

    Se para ZZZ e TTT essa opção acenava como a mais digna o que aconteceu depois deixou-nos um tanto preocupado, porque esse modelo de cobrança virou algo pestilento e já é uma instituição A INDUSTRIALIZAÇÃO DE EVENTOS ESPÍRITAS. Quase nenhuma federativa (salvo exceções raríssimas) querem realizar encontros menores, estudos continuados, seminários modestos etc, tudo deve passar pelo estrelato em que algum expositor endeusado terá que participar do evento.

    O local escolhidos muitas vezes não é o centro simples que nos acolhe em nossas atividades rotineiras mas algum lugar que figure como um show de grande repercussão em que o ilustre orador tenha todos os poderosos holofotes para si.

    Reflito o seguinte: e o Evangelho de que maneira pode ser inserido nesse contexto? Outro dia também li sobre a palestra do orador ZZZ (noutro continente) cujo comportamento era apenas um convite à psicologia transpessoal com dinâmicas nada convencionais como de queima papéis para desintegração de sentimentos negativos etc.

    Se nós que conhecemos a lei da ação e reação, a necessidade imperiosa da reforma íntima, a justiça divina por meio da reencarnação, as leis que permitem um canal entre vivos e mortos pela mediunidade abençoada daquele que se dispõe a trabalhar, a caridade como comportamento e o estudo permanente fico a indagar o que estamos querendo com tudo isso.

    Em uma coisa concordo plenamente se a cobrança ainda em preços mais modestos, porque aqui em Brasília cobrou-se 120,00 per capta, não se pode falar mesmo em Espiritismo, porque é uma intensa contradição de tudo que aprendemos na linfa pura da terceira revelação. É melhor falar em nome de qualquer coisa menos da Doutrina dos Espíritos.

    Meu amigo não se esqueça que ZZZ sempre teve um comportamento absurdamente oposto de Chico Xavier, pois enquanto Chico agregava ricos e miseráveis no mesmo ambiente qm que se encontrava o ZZZ vai cada vez mais robustecendo o espiritismo disfarçado e nefastamente elitizado em hotéis 5 estrelas.

    É perguntar ao próprio coração o que está mais consoante com as verdades eternas. Em meu site estão vários artigos abordando esses temas como cobranças de taxas, um convite ao Espiritismo mais simples, a simplicidade na tribuna espírita, e muitos outros. Vamos trazer a nossa contribuição para que o amanhã não nos cobrem como omisso e confiemos na sabedoria divina que tudo provê.

    Muita paz.

    Jorge Hessen