BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 30 de ago de 2011

    AO ARNALDO ROCHA, PRESIDENTE DO C.E. "FÉ E ESPERANÇA"

    Jorge Hessen
        Estimado Arnaldo,
        Bom irmão  e amigo leal.

        Creio que você tem acompanhado alguns argumentos que tenho escrito contidos no site e blog  em torno da reflexão por uma D.E  mas simples.  Recentemente em  viagem que fiz no interior de MG e SP alguns confrades  confidenciaram algumas preocupações com a profissionalização das palestras musicais nas hostes espíritas de SP e MG. Disseram que tais  palestrantes exigem que  na sua apresentação o número de frequentadores seja X ou Y  senão eles não fazem a "palestra". Tem um confrade em Santos , um tal de XWZ, um comerciante do Espiritismo, dono da ......... , que  traduziu e publicou  O Evangelho e o Livro dos Espíritos  todo esquisito , livros cheios de figuras grotescas , imagens estranhas . Ele chama de .................. e cobra  preços escorchantes pelos livros de "Kardec".  É um confrade que vive das rendas  do Espiritismo, sendo que o arrecadado não tem fins sociais mas  particular mesmo!. Esse confrade tem  mantido uma linha de ácidas críticas a mim porque não concordo com esses mercantilismo que ele faz .
         A ........................ tem livros que chegam a custar mais de R$. 120,00  , e não editam algumas obras clássicas da ciência  espírita porque “não dá lucro”.  Há oradores  cobrando por /work shopping/ cerca de 1.700,00 per capta,  para participar, ou cerca de $ 70,00 setenta dólares per capta, para palestrar e  toda renda é revertida para instituição tal....
        Meu irmão! não sei onde o Espiritismo vai parar. Como se não bastasse os congressos industrializados e até gazofilácio foi construído no ........................ no Rio de Janeiro.
        Arnaldo,  o motivo dessa msg é primeiramente rogar-lhe, em  particular,  a você , meu pedido de desculpa se algum artigo meu não tenha  sido bem interpretado por alguém do C.E.. Você sabe que  dos centros espíritas que frequento o "Fé e Esperança"  e o "PAE" (que eu fundei há 35 anos) são as instituições que mais credito confiança pela seriedade dos trabalhos. Sabemos das dificuldades da manutenção tanto de uma como da outra instituição. Sabemos que a venda de livros, CD, DVD é de extrema importância para a manutenção de parte dos compromissos e que nem cobrem as despesas né?. Então  gostaria de dizer-lhe que  todo, todo mesmo! Foco das minhas admoestações doutrinárias tem como impulsionador os exemplos inadequados que muitos confrades estão dando, a exemplo do ................... que vende as palestras e outros  espíritas mascates inconvenientes.
        Sabemos do belíssimo  e imprescindível contributo doutrinário do Grupo Fé  , que extrapola nossa análise, sem dúvida. Então  quero dizer-lhe que o Centro Fé e Esperança que você dirige com extrema competência e dignidade   juntamente com sua equipe é um dos que mais  e melhor prestam serviço de altíssima relevância para o Espiritismo no Brasil e nem duvide disso. Sou aluno  de todos você e sei que não um bom aluno.
        Tenho muitos email  denunciando  o que abaixo segue e esses fatos é que movem-me  a escrever o que escrevo
        Arnaldo, ser escritor espírita a gente paga um preço alto ,  não é mole não! , a gente sofre barbaridade....rsrsrsr mas não vou desanimar nunca.
        Então  (se for o caso) diga a todos que tudo que escrevo de advertência sobre os maus exemplos  sempre foram  de fora das nossas hostes de convivência , graças a Deus!!.
        E ademais você é um irmão muito especial para mim, sou seu admirador há muitop tempo,  acredite!
        Um abração
        Jorge Hessen


    Meu querido amigo espiritual!
    Arnaldo Rocha, Presidente do .E. Fé e Esperança

    Há 1 hora tive a oportunidade de encontrar durante o almoço, no restaurante do condomínio do MCT, a sua filha amada Érica. Conversamos sobre assuntos espirituais e pude dizer-lhe, com o mais profundo respeito e admiração, da alegria de usufruir da sua companhia nas tarefas do Fonte de Esperança, sempre acompanhado de tão respeitável família. Disse-lhe que, mesmo não convivendo com sua pessoa, percebo um ligação forte que nos envolve em uma amizade verdadeira, intuída por nossos espíritos antigos, que nos traz contentamento, fazendo-nos beber nas mesmas Fontes que nos dessedentam o Ser, fortalecendo-nos para que, dessa vez, possamos sagrar êxito em nossa atual romagem terrena.
    Sim, meu amigo, muitos de seus artigos nos auxiliam no sentido de ficarmos mais "alertas", principalmente porque provém de um espírito mais amadurecido e consciente das armadilhas das trevas que, em penetrando nos arraiais espíritas, trazem os vícios mundanos do escambo e do comércio na casa do Pai, somados à tola vaidade, ao despropositado orgulho e ao desrespeito sem cabimento à Espiritualidade Maior, desviando-nos da rota segura, tão bem colocada  nas obras de André Luís: Conduta Espírita e Agenda Cristã.
    Procuramos, na medida do possível, acertar e mesmo que, às vezes, venhamos a interpretar de maneira controvertida algum ensinamento ou realizar alguma atividade que possa trazer prejuízo para a divulgação da nossa Doutrina Espírita, teremos em pessoas como você, o vigilante atento, como o da parábola do Servo Fiel e Prudente e do Mau Servo.
    Jorge esteja sempre à vontade para me auxiliar com as suas colocações arrazoadas, pois se descuidarmos jogaremos todas essas lindas pérolas de sabedoria aos porcos, que as destruirão por não saberem o seu valor.
    É difícil dirigir uma instituição, todos os dias peço ao Pai que me dê inspiração e roteiro, que desenvolva em mim a sensibilidade para saber ouvir os bons conselhos e utilizá-los como lições úteis na intimidade de nossa casa. Você e o Carlos Augusto, para mim em particular, são referências, autoridades pontuais no sentido de defender pela palavra falada e escrita  o Espiritismo-Cristão, embasados pelo conhecimento profundo da tríade que sustenta a Doutrina e pela vivência desses princípios no seio da família, no ambiente de trabalho, no púlpito das casas espíritas e na sociedade como um todo.
    Obrigado sempre, digo com sinceridade, a sua presença só veio a acrescentar mais argamassa para a sustentação das paredes espirituais de nossa casa.
    Não é simplesmente um elogio, e sim uma constatação: no momento em nossa casa, você tem usado a palavra para consolar, utilizando a sua experiência pessoal, levando um pouco mais de Jesus aos corações sofridos, abalados pelas tempestades da vida.
    Com carinho!

    Arnaldo  Rocha


    *Obs: apesar de considerar o Grupo Fé como um dos grupos mais sérios que existem em nosso movimento, também orientarei seus membros para que evitem fazer vendas de CDs, DVDs ou livros, durante as suas apresentações e antes do término das atividades do Centro, para que não fique configurando uma espécie de comércio disfarçado na Casa do Pai.