BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 25 de nov de 2011

    GULA E OBSESSÃO


    Prezado Jorge:
    Todos sabemos que o alcoolismo e os vícios em drogas e jogo podem ser consequencia da atuação de obsessores. Mas o consumo exagerado de comida pode ser também induzido por obsessores? Nada sei sobre isso, e gostaria de sua orientação, pois tenho um amigo que é obeso por comer demais.
    Atenciosamente,
    VVVVV

    Caro VVVV,
    Allan Kardec em o Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. 28 define obsessão como sendo a "ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um indivíduo."  A obsessão é sempre um processo mantido, contínuo, persistente onde as forças em litígio estão se enfrentado num processo bem estabelecido. Não se reconhece como obsessão aquelas condições fortuitas, ocasionais, onde assimilamos pensamentos infelizes de forma breve e sem grandes conseqüências  A definição apresentada restringe a obsessão a apenas uma de suas formas, quando um Espírito estará desenvolvendo o processo obsessivo em direção a um encarnado. Pode ocorrer o inverso, quando um encarnado passa a subjugar o Espírito. Pode-se observar também obsessão entre encarnados e entre desencarnados. E assim ao infinito....

    Como se desenvolve a "ação" a que se referia Allan Kardec?

    - O Espírito infeliz estará atuando sobre o encarnado em dois níveis:  Mente a mente: constrição mental; Perispírito a perispírito: envolvimento fluídico.

    O caso que me narra pode ser considerado um tipo de obsessão  (vampirismo): isso é uma causa de obsessão relacionada á satisfação de vícios e paixões. Na definição de André Luiz: "é toda entidade ociosa que se vale indevidamente das possibilidade alheias". O vampirismo vai caracterizar aqueles Espíritos viciosos, apegados a certas emoções materializadas, que se aproximam dos encarnados, portadores dos mesmos vícios, para absorverem as suas emanações fluídicas. Existem vampiros do fumo, do álcool, da gula, dos tóxicos, do sexo, etc.;

    As obsessões de causas morais são aquelas provocadas pela má conduta do indivíduo na vida cotidiana. Ao andarmos de mal com a vida e com as pessoas, estaremos sintonizando nossos pensamentos com os Espíritos inferiores e atraindo-os para perto de nós. Desse intercâmbio de influências poderá nascer uma obsessão.Vícios mundanos, como o cigarro, a bebida em excesso, o cultivo do orgulho, do egoísmo, da maledicência, da violência, da avareza, da sensualidade doentia e da luxúria, da gula poderão ligar-nos a entidades espirituais infelizes que, mesmo desencarnadas, não se desapegaram dos prazeres materiais.

    As obsessões anímicas são causadas por uma influência mórbida residente na mente do próprio paciente. Por causa de vícios de comportamento, ele cultiva de forma doentia pensamentos que causam desequilíbrio em sua área emocional. Muitas tendências auto-obsessivas são provenientes de experiências infelizes ligadas às vidas passadas do enfermo. Angústia, depressão, mania de perseguição ou carências inexplicadas podem fazer parte de processos auto-obsessivos. O auto-obsediado costuma fechar-se em seus pensamentos negativos e não encontra forças para sair dessa situação constrangedora. Esse posicionamento mental atrai Espíritos doentios que, sintonizados na mesma faixa psíquica, agravam sua doença espiritual.

    Não podemos olvidar que a imprudência e o ócio se responsabilizam por múltiplas enfermidades, como sejam os desastres circulatórios provenientes da gula, as infecções tomadas à carência de higiene, os desequilíbrios nervosos nascidos da toxicomania e a exaustão decorrentes de excessos vários. de modo geral, porém, a etiologia das moléstias perduráveis que afligem o corpo físico e o dilaceram, guardam no corpo espiritual as suas causas profundas.
    É o que penso sobre  seu amigo.
    Abração
    Jorge Hessen