BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 22 de nov de 2011

    DIALOGO SOBRE O EXTASE

    Querido Companheiro,
    Caríssimo Jorge Hessen

    Em primeiro lugar gostaria de agradecer em nome de todos do grupo de estudos do Centro Espírita ......... Agradecer  pelo cuidado em nos responder, agradecer pelo "Estimada", fiquei muito contente pelo carinho. Levei as suas colocações para o grupo que muito nos acrescentou e esclareceu-nos. Debatemos de forma muito produtiva os dois temas. Sobre estes mesmos temas ainda enviarei mais algumas situações...
    Mas sobre o Êxtase, tivemos no grupo , ainda, dois companheiros que "batem o pé " e "não vão baixar a cabeça" - expressões usadas por eles mesmos - até que provemos, "aonde Kardec escreveu que em êxtase , o espírito vai a mundos inferiores". Discutimos as questões, colocando a situação da emancipação da alma neste estado, porém em vão,,,,,,...!
    Até que um destes companheiros apresentou ao grupo a " bendita " definição que o mesmo tinha por base, para entender que neste estado só se vai a mundos superiores... disse o mesmo : "... quero que vocês contestem agora a definição que tem no Livro dos Médiuns no capitulo 32 do livro  no vocabulário......rapidamente buscamos alguns livros e fomos acompanhar... surpresa... nos Livros dos Méd - trad.Guillon Ribeiro FEB. - da trad. de Herculano Pires - trad. Evandro Noleto - não encontrei o vocábulo apresentado pelo nosso companheiro.... observamos então que a definição que o mesmo se baseia ,só está presente na obra da Editora ........ que copiei abaixo :     
    Êxtase : sentimento profundo e indizível que aparenta corresponder à enorme alegria, ficando-se imobilizado como se houvesse perdido o contato com o mundo exterior.
     Este vocábulo poderia ter sido anexado pela editora?!
    Peço desculpas por tentar afogá-lo com o tamanho desta mensagem,... e se possível gostaria de continuar escrevendo-lhe sobre outros temas , caso me permita importuná-lo com tantas questões!!!
    Grandes Abraços Fraternos, e que DEUS o abençoe hoje e  Sempre !!! 
    ..........


    Estimada ...,
    Boa irmã.
    Obrigado pelas  amáveis palavras  enviadas.
    Sobre as questões propostas (e são bem complexas como tema espirita) há obviamente algumas controvérsias teóricas a respeito de quando o Princípio Inteligente se individualizaria; se tal ocorreria já a partir do reino mineral, ou somente a partir do reino vegetal. Uns defendem a primeira hipótese, outros sustentam a segunda tese. Junto-me à primeira corrente, respaldado em  Kardec  que na Introdução do LE  explana: “se se observa a série dos seres, descobre-se que eles formam uma cadeia sem solução de continuidade, desde a matéria bruta até o homem mais inteligente.” Então creio que o principio inteligente  estagia no Reino Mineral.
    Quanto ao tema  êxtase creio que  o espírito faz incursões aos mundos  mais densos ("inferiores"), embora quando citamos a palavra êxtase subentende-se prazer, o que é verdade, mas não obsta que  um extatático faça viagens a mundos brumosos para registrar as tristes realidades de tais dimensões sofridas.
    Sou instado a declarar-lhe que sou um militante e estudioso espírita cauteloso mormente sobre as editoras que publicam obras “espíritas”. 

    Confesso-lhe .......que  não leio nada da "Editora ...." e jamais recomendaria obras dessa editora. Quase todas as minhas fontes obtenho atrevés da Editora da FEB   e nem dedico meu precioso tempo com quem tentar impor  outras fontes,  dou pouco ouvido aos detratores para ter mais minutos de pesquisas e ganhar mais cultura. 
    Vamos quevra o galho aqui e ceder um temponho para tal editora: vamos analisar a definição de tal Petit  que é totalmente sem nexo , mas vejamos: Êxtase : sentimento profundo e indizível que aparenta corresponder à enorme alegria, ficando-se imobilizado como se houvesse perdido o contato com o mundo exterior. 
     A definição estrambólica acima já dá uma imensa margem para controvérsias. Sim! ... “aparenta”!?  “enorme alegria”!?...,  veja que é uma linguagem absolutamente pobre, sem nexo, absurda e dispensável,  considerando a elavada sabedoria de Allan Kardec.
    Retornando ao tema: o êxtase é uma forma de (sonambulismo) mais apurado. Sabemos que o sonambulismo pode ser induzido artificialmente por magnetização e o pioneiro dessa prática foi o médico austríaco Franz Anton Mesmer, que buscava nessa experiência uma forma de terapia alternativa. Em casos tais, pode o sonâmbulo entrar em contato com outros Espíritos que lhe transmitem o que devem dizer e suprem, desse modo, a sua incapacidade. O fato se verifica principalmente nas prescrições médicas e há muitos relatos na literatura espírita dando conta de que, às vezes, o Espírito do sonâmbulo “vê” o mal e outro Espírito lhe indica o remédio, caracterizando uma forma de ação mediúnica na qual o sonâmbulo é o instrumento de outras inteligências desencarnadas. 
    Como disse o êxtase é emancipação da alma também  é , segundo o Espiritismo, um sonambulismo mais apurado, porquanto a alma do extático é ainda mais independente. Ora se é mais independente ele pode ir para onde quiser respeitando certos limites (considerando altas esferas e não baixas dimensões) obviamente. 
    É verdade que no sonambulismo o Espírito anda em giro pelos mundos que nos rodeiam (mais grosseiros), no êxtase pode (eu disse pode , mas nem sempre acontece) penetrar em um mundo (menos denso) desconhecido, o dos Espíritos etéreos, com os quais entra em comunicação, sem que lhe seja, porém, lícito ultrapassar certos limites como disse acima. Aliás, se o Espírito em êxtase os transpusesse, partir-se-iam os laços que o prendem ao corpo material (seria um suicídio impensável numa alma elevada, por isso que espiritos comuns não entram em estado êxtase tão facilmente).
    É mais perigoso o extático “viajar” pelos mundos  mais etéreos, muitas vezes pondo-se em contato com entidades tão elevados, é fácil entender que um resplendente e incomum fulgor chega a cercar o extático, produzindo-lhe um indefinível bem-estar, que lhe permite gozar antecipadamente a beatitude celeste que somente em estados semelhantes pode vislumbrar. Mas isso é exceção , não é a regra , os que conseguiram isso foram quase sempre beatificados ou santificados pela Igreja.
    Leiamos Obreiros da Vida Eterna (André Luiz)o depoimento de Albano Metelo, um médium completista (quase "santo"). Quando  estava no além, imediatamente após a sua desencarnação  Metelo narra : “Também eu tive noutro tempo a obcecação de buscar apressado a montanha (vida monástica). Consegui vencer os óbices imediatos e ganhei, jubiloso, pequenina eminência. Em me voltando (desencarnando), todavia, espantou-me a visão terrífica do vale (umbral)o sofrimento e a ignorância dominavam em plena treva. Desencarnados e encarnados lutavam uns contra os outros, em combates gigantescos, disputando gratificações dos sentidos animalizados. O ódio criava moléstias repugnantes, o egoísmo abafava impulsos nobres, a vaidade operava horrenda cegueira ... Cheguei a sentir-me feliz, diante da posição que me distanciava de tamanhas angústias. Contudo, quando mais me vangloriava, dentro de mim mesmo, ...notei que o vale se represava de fulgente luz. Que sol misericordioso visitava o antro sombrio da dor? Seres angélicos desciam, céleres, de radiosos pináculos, acorrendo às zonas mais baixas (umbral).  - Urgia descer para colaborar com o Mestre de Amor, diminuindo os desastres das quedas morais, amenizando padecimentos, pensando feridas, decaindo lágrimas, atenuando o mal e, sobretudo, abrindo horizontes novos à Ciência e à Religião, de modo a desfazer a multimilenária noite da ignorância.  - por que enojar-me, ante o vale, se o próprio Jesus, que me centralizava as aspirações, trabalhava, solícito, para que a Luz de Cima penetrasse as entranhas da Terra? ... como subir sozinho, organizando um céu exclusivo para minhalma, lastimavelmente abstraído dos valores da cooperação que o mundo me prodigalizava com generosidade e abundância? Detive-me, então - continuou - e voltei.
    Por que escrevo isso? É para mostrar-lhe que um êxtase legítimo talvez tenha mais peso na consciência cristã  penetrarmos as regiões de dor e sofrimento para levar-lhes a luz do conhecimento do que viajar  para juntos dos anjos e  não desejar  voltar por saber o quanto temos que lutar e caminhar para lá chegar?
    Êxtase é trabalho e o prazer de ajudar e  sobretudo esclarecer os que estão nas brumas regiões purgatoriais...
    Abração,
    É meu juizo sobre as propostas enviadas , lembrando que estou e sempre estarei aberto a discussões elevadas sobre os temas espiritas e por isso rogo-lhe escrever-me sempre então..................Escreva sempre , ok?
    Um grande e respeito abraço
    Um abração
    Jorge Hessen


    Retorno do diálogo acima:


    Caríssimo Companheiro Hessen,
    Querido Amigo,
    Que estudo simples e ao mesmo tempo profundo!Quantos esclarecimentos...!!!
    Fiquei horas, lendo e relendo as explicações, as observações, simplesmente maravilhoso e de forma clara e objetiva. Amei!!!(desculpe a empolga!).
    Passei todos os esclarecimentos para outra companheira coordenadora do ESDE onde faremos a conclusão dos estudos sobre o tema e colocaremos os teus esclarecimentos na introdução deste trabalho. Esta atividade será realizada no dia que estaremos fazendo a avaliação dos trabalhos de 2011 - provavelmente em 01/12 , próxima quinta-feira. Mandarei, claro para você ,o Mentor encarnado, que muito colaborou com todos nós levando-nos a um entendimento maior não só sobre o êxtase, mais dando-nos exemplo de desprendimento, paciência e colaboração.
    É claro também continuarei pedindo paciência com as minhas mensagens e temas que estarei te pedindo socorro.
    Estou preparando um estudo que será apresentado na Reunião Pública de nossa Casa ,referente as questões do Livro dos Espíritos - Pena de Morte - questões 760 a 765. Já venho preparando este estudo há um tempinho, e ainda estou em dúvida qual será a melhor abordagem para introdução do assunto... não sei se inicio com os conceitos,significados,passando rapidamente pelos aspectos do estado em relação aos três poderes,nº de países que ainda adotam a pena de morte,erros na aplicação ...pena de morte em crianças, jovens, nomeando estes países, aspectos legais dos p e contr, para então entrar no aspecto religioso,na visão espírita, anexando tb a questão 748-LE.q fala na legítima defesa, e fechando passando pelo decálogo e o fechamento mesmo no Evangelho- Amar o próximo... ao inimigo...
    Ah! Querido Hessen, desculpe está te atropelando ... ou nada disso ... exponho duas situações para reflexão do assunto após a exposição das questões... nossa estou é te alugando... desculpe... que coisa feia da minha parte...!!
    Tenho um outro tema para discussão, se permitir ... mandarei, fique com DEUS SEMPRE!
    Abração .......