BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 27 de abr de 2012

    PIETRO UBALDI NUNCA FOI ESPÍRITA




     Boa noite Jorge Hessen! 
    Inicialmente quero dizer que estou muito satisfeito por vc ter aceito o convite de ........para mais uma participação em nosso Mês Espírita. Me chamo Paulo e sou integrante da comissão organizadora. Bom, gostaria de sua opinião a respeito de dois livros: "O Tabernáculo Eterno" e "Senda Redentora". Estes livros chegaram às mãos de alguns frequentadores e leitores frequentadores do Centro que servimos, e tem causado divergências de ponto de vista. Comecei a ler o primeiro, mas devido ao volume de atividades e da necessidade de preparar aula para cursos e exposição mensal em nossa casa, e também pelo rumo que estava tomando o conteúdo do livro, não consegui terminá-lo, mas o que ouvi de pessoas que leram os dois fiquei muito preocupado, não sei se eles interpretaram equivocadamente o que leram ou não... Então, estudioso e pesquisador que sei que vc é, e valoroso defensor dos princípios e conceitos de nossas obras kardecianas, gostaria de ter sua abalizada opinião como apoio ou não de meu ponto de vista contrário a estas obras. Se possível, vc bem que poderia relacionar as "inconformidades" com os postulados de nossa doutrina, se for o caso, para que eu possa apresentar principalmente aos mais fanatizados leitores destas obras. 
    Desde já agradeço... 
    Abraços, 
    NNN


    Caro irmão NNN,

    Os  livros supostamente espíritas (de esguelhas e conceitos  de Pietro Ubaldo) intitulados "Senda Redentora" e   “Tabernáculo Eterno”,  psicografados Gilson Freire, um médium de Cuiabá,  são obras não-espíritas, segundo meu ponto de vista e vou explicar lhe do porquê, os livros em epígrafes são estranhos e distantes dos conceitos que particularmente assenti nesses 39 anos de labor  doutrinário.
    Modestamente informo que  a minha opinião advém de obras consagradas  psicografadas por Chico Xavier, Ivone Pereira,  Zilda Gama, Frederico Junior e outros poucos. Preliminarmente  reafirmo que não sou contra (dentro do princípio de liberdade) se alguns confrades creem que descobrem na filosofia de Ubaldi um  meio de aprimoramento espiritual. Contudo,  confesso-lhe que não costumo misturar “alhos com bugalhos”, questão de princípios puramente pessoal .
    Imagino  que você conheça o tal filósofo Pietro Ubaldi ,  nascido na Itália e resolveu enraizar-se no Brasil. Trabalhou sua mediunidade à margem dos conselhos espíritas. Aliás, confesso-lhe que nem sei se ele estudou as obras da Codificação (PROVAVELMENTE NÃO!), ou se estudou não conseguiu assimilar melhor  e nem deve ter aceitado integralmente. É evidente que Allan Kardec nunca lhe foi um modelo de filosofia. Ubaldi  sempre quis voar mais “alto” (pobrezinho!). Tinha idéias próprias e não iria se humilhar e submeter-se à Codificação Espírita. Mas como tupiniquins que somos (sem ranço racista hein! rsrs) os brasileiros são eterno adoradores do que vem do estrangeiro.O visionário italiano Pietro Ubaldi em pouco tempo fez aqui no País grandes amigos espíritas, alguns destes até muito destacados  dentro das nossas hostes, o que lhe facilitou o seu percurso no Brasil.
    O nosso colega  Cirso Santiago escreveu certa vez que , "em Pedro Leopoldo, MG , Ubaldi chegou mesmo a sentar-se uma vez ao lado de Chico Xavier para psicografar uma mensagem. Sua linguagem mediúnica, porém, nunca teve a simplicidade e a claridade que vemos na linguagem legitimamente espírita. Ficou por aí apresentando seus ensaios filosóficos que nada tinham com o Espiritismo autêntico. Sua preocupação, na verdade, sempre foi a de criar um movimento próprio: o ubaldismo."
    Não desconheço que o italiano teve ímpeto de explicar a essência de Deus. Mas, observemos até onde pode chegar um homem insensato. Seu livro de maior alcance foi "A Grande Síntese". Grande parcela do  movimento espírita brasileiro se deslumbrou diante dessa obra. Muitos irmãos invigilantes  que o leram não o entenderam, apenas louvaminharam, pois é muito mais fácil louvaminhar do que confessar ignorância. Depois disso, pelo que sei , não saiu mais nada de fôlego de sua suposta “psicografia” que ganhasse a mesma notoriedade de "A Grande Síntese".
    Mas ele somente  caiu na malha dos críticos mais exigentes quando se revelou adepto do monismo (um tipo de panteísmo disfarçado) (o que é isso?) O dicionarista Aurélio explica: monismo é Doutrina Filosófica, segundo a qual o conjunto das coisas pode ser reduzido à unidade, quer do ponto de vista de sua substância, quer do ponto de vista das leis lógicas ou físicas, pelas quais o universo se ordena. (O monismo poderá ser materialista ou espiritualista, lógico e físico). Escorando-se nessa tendência Ubaldi criou uma teoria própria  (panteísta) que corre paralela ao Espiritismo que nada tem a ver com este. A meu ver Pietro Ubaldi foi um espiritualista, sem demérito mas jamais foi um espírita.
    Sinto-me, NNN, diante de você,  qual infimo comentarista. Quem sou para criticar Ubaldi quando os líderes federativos de vários estados, incluindo  SEU ESTADO ,vendem livros afirmando que Chico e Kardec são o mesmo espírito! Líderes e coordenadores do Movimento Espírita  que promovem  pomposos eventos “espíritas”  pagos (shows de oradores famosos), sempre sobrecarregando espíritas assalariados e  sem recursos financeiros ,  alguns dos quais gostariam comparecer a eventos interessantes (porém simples como o eram nos tempos apostólicos)
    Estudo e divulgo essas idéias há 39 anos e  não intento agradar ou desagradar aos confrades, nosso escopo é e sempre será manter  elevados debates sobre o destino que estamos dando para o Espiritismo no Brasil, para esse desiderato  necessito  debater  com lógica, escorado no  Evangelho e repleto de CORAGEM. Para isso  urge preservar minha moral e minha honra.
    Ou o Espiritismo retorna  às suas origens que é a mais simplicidade, ou o Espiritismo vai definhar em face dessas miscelâneas impostas pelos líderes imaturos que se apropriaram do Movimento Espírita na Pátria do Evangelho.

    S.M.J.  é minha  desvalidíssima e honesta opinião e por ser sincero na opinião  ganho muitos amigos que ensinam-me o Espiritismo autêntico motivo pelo qual percebo a Doutrina  por ângulos que alguns raros  querem ver.
    Que Jesus  mantenha minha fé  por mais 39 anos adiante , quando estarei com 100 anos de vida .
    Mil perdões, mas quem diz a verdade não merece castigo , por isso estou  muito tranqüilo comigo mesmo!
    Um abração
    Jorge Hessen