BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 11 de jul de 2009



    Amigo Hessen,
    Prezado amigo Lucas

    Tomo a liberdade de chamá-lo dessa forma pois considero todo aquele que respeita a opinião alheia como amigo.
    (Isso é fundamental, meu jovem amigo.)
    Estava a conversar com minha namorada sobre o tema debatido e ela possui a mesma opinião do irmão, no que diz respeito à confusão que os não espíritas fazem quando questionados sobre o que seria Espiritismo. Ela, inclusive, antes de me conhecer, não sabia o que realmente pregava o Espiritismo e tinha medo dos Centros Espíritas. para ela, falta divulgação acerca do que é o Espiritismo. Nesse ponto, discordei, explicando que a "cura" para a confusão que se faz não seria uma divulgação maior dos postulados espíritas, uma vez que o que deve ser extirpado é o pré conceito
    (Pré conceito nada mais é que julgar precipitadamente algo que se conhece superficialmente. Logo, uma divulgação maior, sobre o que, realmente, seja a Doutrina Espírita, é o ideal, não excluindo as orientações acerca dos equívocos que, de certa forma, retardam a sua expansão.)

    e não preconceito, apesar dele também existir, que há quando ouvem a palavra Espírito ou Espiritismo.
    (Preconceito é um sentimento insensato que muitas pessoas sustentam, e que chega, até mesmo, ser hostil, às vezes.)

    Mesmo que houvesse uma divulgação maior, as pessoas continuariam a evitar e a rotular nós, espíritas, como feiticeiros, charlatões e condenados eternamente ao Inferno.
    (Quem não tem religião definida, pelo menos esses, poderiam aderir ao Movimento Espírita. Mais adeptos, menos contraditores, concorda? Veja o exemplo de sua amada namorada. Antes de conhecer e assimilar o que aprendeu, pensava de um jeito. Agora, depois do convívio com você...)

    Por isso considero essa discussão (quando os pólos são pessoas de religiões diversas, e não essa discussão que realizamos entre irmãos de fé) sem objetivo, pois nunca presenciei alguém mudar de opinião religiosa por debates, mas sim por exemplos.
    (Nosso objetivo não é o de criar polêmica, mas esclarecer e, nem tampouco fazer com que mudem de religião. Só muda de religião quem se equivocou na escolha daquela que elegeu para seguir. O exemplo é tudo e vocês estão dando um belo exemplo para essa juventude que está aí.)

    A sociedade, estigmatizada pela dominação católica (e agora expansão evangélica), sempre viu, vê e verá qualquer doutrina Espiritualista como condenável e perigosa.
    (Paciência, meu irmão! A evolução não dá saltos, é lenta. Não digo os evangélicos, por enquanto, mas sei de inúmeros Católicos que frequentam Centros Espíritas. Todavia, isso não é de se reprovar, pois, com certeza, estão insatisfeitos, por um motivo qualquer, com a escolha que fizeram ou, então, deliberaram conhecer a nossa doutrina. No entanto, não conheço um Espírita, "verdadeiramente Espírita" e não Espírita de fachada, que se tenha debandado para outros cultos religiosos. Tudo é uma questão de tempo. O Consolador Prometido por Nosso Senhor Jesus Cristo é para todos, e não somente para os que já são Espíritas.)

    Mesmo que busquemos explicar de todas as formas, não é chegado o momento deles compreenderem a nossa iluminada doutrina.
    (Agora, você generalizou, meu irmão. O homem é quem faz o seu momento e a Doutrina Espírita o aguarda, pacientemente.)

    Vejo muitos irmãos se afligirem acerca da expansão do Espiritismo, mas confesso que nunca me preocupei de verdade.
    (A expansão do Espiritismo acontecerá, quer queiram ou não. O que nos preocupa é a expansão sustentada de forma equivocada.)

    Digo isso porque Kardec (e inúmeros Espíritos Superiores) nos ensinam que cada espírito tem o momento certo de despertar para as verdades eternas,
    (Agora, você disse tudo.)

    e devemos louvar a Deus por já estarmos esclarecidos e buscando a nossa renovação íntima.
    (Esse é o maior objetivo da nossa doutrina, ou seja, a nossa moralização, pois a Doutrina Espírita é, eminentemente, moralizadora e consoladora.)
    Se os nossos irmãos estão equivocados e preferem fechar os olhos para a realidade, apenas podemos orar por eles e aguardar com serenidade que eles despertem a tempo de terem a concessão de habitarem um Mundo Regenerado e Feliz
    (Certíssimo!)
    (acredito que nem preciso salientar que esse despertar não é se tornar Espírita, uma vez que não é por esse fato que estaremos aptos a habitarmos um Mundo melhor, mas sim sermos cristãos, não importando a crença que adotamos).
    (Acredito nisso, também, mas não podemos esquecer que somente a Doutrina Espírita nos esclarece sobre os mecanismos reencarnação, nos desperta a consciência para a renovação íntima e é a que melhor nos prepara para a vida espiritual.)
    Para concluir, só desejo dizer que mesmo que essa alteração (de espiritismo para kardecismo) fosse realizada, as pessoas equivocadas continuariam a associar o "Kardecismo" à crenças espiritualistas que se comunicam com o Mundo Espiritual sem a devida prudência e ambientação adequada.
    (Mudar o título, de Espiritismo para Kardecismo, não é nosso objetivo, mas que seja prudente dizer "Sou Espírita Kardecista", quando necessário for.)

    É somente isso que desejo salientar. Qualquer mudança feita não alteraria o quadro presente, pois o conceito que criaram não é sobre o nome, mas sobre toda a doutrina.
    (Discordo meu irmão. Conhecer "toda" a doutrina é fácil, basta ler. O difícil é assimilar "todo" o conceito que nela contém. Assimilando os principais fundamentos, o conceito é outro. Temos material para ser assimilado através de inúmeras encarnações, pois em uma só existência, é "humanamente" impossível. O caminho é longo, mas, graças ao Pai misericordioso, já estamos na direção certa.)

    Bem. Fico muitíssimo feliz em trocar opiniões acerca do Espiritismo.
    (Qual o real espírita que não fica, não é verdade?)

    Tenha certeza que me faltam pessoas para conversar, e acho que o amigo sabe o motivo. Não existem muitos jovens que apreciam conversar sobre assuntos transcendentais.
    (Não dê muita importância a isso. Os livros espíritas valem mais do que qualquer palavra falada.)

    Espero que troquemos ainda muitos emails!
    (Sim, meu irmão.)


    E sempre que possível acessarei seu site para continuar lendo artigos tão interessantes.
    (Obrigado, Lucas.)

    Abraço fraterno!
    (Igualmente!)

    Que Jesus, o nosso Mestre Amado, nos envolva em sua Vibração Perfeita!
    (Que assim seja!)
    Lucas dos Anjos
    Jorge Hessen