BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 5 de set de 2009

    IMITADORES DE DIVALDO FRANCO


    Hu: Senhor Hessen,
    Eu conheço estas 2 pessoas, e não é nada disso do que esta sendo colocado.

    A primeira faz citações de relatos comentados por Divaldo Franco, e não tem nada de ser um imitador.

    E a segunda, de fato vende e divulga CDs e 100% da venda vai para a instituição. Jamais exigindo aplausos, esta afirmativa é uma vergonhosa mentira.

    Você sem conhecer a fundo coloca

    Meu Deus, que ridículo! Esses companheiros, com certeza, imaginam-se quais atores de televisão, quais personagens hollywoodianos, só faltando oferecer autógrafos para os seus fãs idólatras, que, também, existem, lamentavelmente! Nada mais triste!....

    Meu Deus digo eu, que em lugar de estar escrevendo pesquisas, analises para aportar ao Espiritismo, usa as mensagens da internet, para agredir a irmãos no ideal, colocando falsas observações, ainda mais, sem nunca ter visto eles, e pior ainda, colocando a opinião de uma mulher hipócrita, que os convida a seu centro para depois caluniar.

    Nada mais triste que receber este tipo de emails e comentários, anticristãos, antiespíritas, antiéticos.

    Já o Espiritismo tem muito inimigo, mas o pior é quando encontra eles mesmos, nas suas fileiras.
    Jorge Hessen:  Hu
    Após ler seu email, pensei: Não vale a pena perder meu tempo com esse tipo de intercâmbio. Porém, como suas palavras parecem exacerbar um rancor que o faz muito infeliz, decidi por ajudá-lo, para que esse seu rancor não perdure por séculos ou milênios. Mesmo porque, esse tipo de sentimento não condiz com a Doutrina Espírita e não faz bem à saúde física e mental. Aliás, muito lhe ajudaria ler meus artigos sobre esse tema e que estão contidos no meu site, http://jorgehessen.net.
    O mais curioso é que você identificou pessoas, sem que eu tivesse citado nomes, o que seria, realmente, uma atitude nada cristã de minha parte. Mas, enfim, quem lhe garante que sejam as mesmas? Se, de sua parte, houve uma identificação, segundo o modelo descrito no meu artigo, não é culpa do Jorge, mas fruto de uma comparação que você fez entre o que está escrito e pelo que você sabe de alguém. Folgo em lhe dizer, meu jovem Senhor, que essa sua precipitação não é problema meu, mas, exclusivamente, seu. Agora, se alguém se encaixa nos moldes por mim descritos, que isso não seja motivo de contendas, mas como advertência para se autoeducar.

    Faço palestras em vários Centros Espíritas, inclusive em outros Estados, e conheço inúmeros oradores que, demonstrando excessiva admiração por outros articulistas, primam por imitá-los, esquecendo-se de que são vistos como pessoas tolas, lamentavelmente, e destituídas de autocrítica. Além do mais, qual é a verdade que não incomoda quem está em erro?

    Para finalizar este email, concluo com total tranqüilidade de consciência: Ser cristão, meu jovem Senhor, não é ser conivente com os erros alheios, mas, “encontrar-se construindo, aberto para o bem e à verdade de que se torna vanguardeiro e divulgador.”
    (Divaldo)
    “Eis que o semeador saiu a semear.” – Jesus. (Mateus, 13:3)

    Façamos o mesmo, mas com legítima autoridade para advertir, quando necessário for.

    Muita Paz!
    Jorge Hessen