BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 19 de nov de 2009

    REFLEXÕES SOBRE O PASSE



    Hélio : Irmão Jorge.
    Vi na internet - condições para ser passista (passe magnético). A pessoa teria que ter no mínimo 18 anos e no máximo 80 anos. O irmão concorda com essa limitação?
    Abraço fraterno!
    Hélio


    Jorge Hessen: Prezado irmão
    Com relação aos médiuns curadores, Kardec, em O Livro dos Médiuns, recebeu o seguinte esclarecimento sobre passe magnético: “O fluido magnético é a substância que mais se aproxima da matéria cósmica, ou elemento universal. Se pode operar uma modificação nas propriedades da água, pode igualmente produzir um fenômeno análogo sobre os fluidos do organismo e daí o efeito curativo da ação magnética convenientemente dirigida.
    Sabe-se o papel capital que exerce a vontade em todos os fenômenos do magnetismo; mas como explicar a ação material de um agente tão sutil? A vontade não  é um ser, uma substância qualquer; não é nem uma propriedade da mais etérea matéria; a vontade é o atributo essencial do Espírito, quer dizer, do ser pensante. Com ajuda dessa alavanca, ele age sobre a matéria elementar e, por uma ação consecutiva, reage seus compostos, cujas propriedades íntimas podem assim ser transformadas.
    A vontade é  o atributo do Espírito encarnado, assim como do Espírito errante; daí o poder do magnetizador, poder que se sabe estar em razão da força da vontade. O Espírito encarnado, podendo agir sobre a matéria elementar, pode, pois, igualmente, variar-lhes as propriedades em certos limites, e é assim que se explica a faculdade de curar pelo contato e imposição das mãos, (passe), faculdade que algumas pessoas possuem num grau mais ou menos elevado.”
    Dito isso, o bom senso nos leva a crer que ser passista, simplesmente, ou ser médium curador, sem levar em consideração o estudo devido - que deve anteceder à prática - e sem a sinceridade dos sentimentos, não surtirá o efeito desejado naqueles que estão sendo assistidos. Além do mais, é um procedimento de grande responsabilidade e é preciso que se leve em conta a prudência. Seria um erro crer que essa limitação não admita exceções, mas a experiência já demonstrou que a maioria dos jovens não leva a Doutrina a sério e que o passista idoso despende muita energia nesse tipo de trabalho, devido à idade avançada e desgaste natural da vida.
    Espero, prezado irmão, ter esclarecido, satisfatoriamente, a questão que me trouxe.
    Fraternalmente,
    Jorge Hessen