BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 24 de jan de 2010

    NÃO HÁ CONTRADIÇÃO


    A......: Olá caro amigo!!!! Agradeço os artigos que tem enviado...são ótimos à nossa reflexão.
    Gostaria de aproveitar e compartilhar uma dúvida que trago a anos em relação às informações sobre outros mundos divulgadas nas obras da Doutrina Consoladora. Trata-se de uma nota de rodapé do Livro dos Espíritos (tradução de Herculano) que informa que Marte é planeta inferior (não fica claro se a nota é de Kardec ou de Herculano, mas parece ser Kardec). Já no livro psicografado por Chico Crônica de Além Túmulo, Humberto de Campos tem um texto que fala em Marte como planeta muito mais evoluído que o nosso. Então ficou a dúvida: será uma contradição em obras de grandes exponentes da divulgação da Doutrina?
    Gostaria que o amigo me ajudasse nessa dúvida.
    Grato pela atenção...um abraço fraternal,
    A........

    Jorge Hessen: Prezado irmão
    De forma alguma encontramos contradição nas obras que você citou. Primeiramente, sem sombra de dúvida, a nota de rodapé é de Kardec, mesmo porque, consta em todas as traduções de O Livro dos Espíritos. Se fosse de Herculano, apenas, outros tradutores não a manteriam e a FEB já teria atentado para isso. Analisemos, pois, a nota de rodapé, em O Livro dos Espíritos:

    “Segundo os Espíritos, de todos os globos que compõem o nosso sistema planetário, a Terra é um daqueles onde os Espíritos são os menos avançados, física e moralmente.”

    Ora, só nessa frase, Kardec já descarta a possibilidade de Marte ser mais atrasado que a Terra, mas, afirma que, ainda, é (um planeta) inferior, confira: “Marte seria ainda inferior e Júpiter, o mais superior em relação a todos.” A palavra “ainda” já proclama que Marte “ainda” não é um planeta superior na escala dos mundos, e isso não significa que seja inferior à Terra. Repare que Kardec omitiu a palavra “planeta”, também, de Júpiter.

    Tudo é uma questão de analisar detalhes da frase, pois, omitindo uma palavra-chave (no caso, “planeta”) que seja, já dá margem a outro entendimento.

    Portanto, meu irmão, reafirmo: NÃO HÁ CONTRADIÇÃO ALGUMA!
    Espero que eu tenha dissipado sua dúvida.
    Fraternalmente,
    Jorge Hessen