BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 26 de jan de 2010

    TRAGEDIAS NATURAIS , RESGATES COLETIVOS



    H: Boa noite, Jorge. Tudo bem?

    Meu nome é H e falo como colaborador da revista eletrônica O....................
    Para nossa próxima edição vamos colocar a visão de alguns espíritas sobre o recente terremoto no Haiti e outras tragédias. Gostaríamos muito de poder contar também com a sua opinião.
    As perguntas propostas são:


    1 - Além do número de mortos, existe diferença entre as tragédias naturais (como os terremotos recentes do Haiti, os tsunamis etc.) e aquelas que de alguma forma dependem dos homens (como o do vôo da AirFrance ou da TAM)?


     Jorge Hessen: 
    Não. Tragédias desse porte, como terremotos, tsunamis, desastres aéreos, e outras tantas não mencionadas, têm, sempre, a mesma finalidade, ou seja: para o Homem, evolução do Espírito; para a Natureza, evolução do Planeta.
    Justificativa:
    Observe o mundo de hoje; veja como o Homem vem se tornando cada vez mais egoísta e intratável. Observe o que o Homem tem feito à mãe Natureza. Ela, tal como os seres humanos, ama e sofre. Observe os pássaros nos meses de inverno; eles estão aconchegados uns aos outros à beira de um telhado, reaquecendo-se mutuamente. A necessidade os une. Voltam, porém, os dias belos, o Sol resplandecente, a colheita abundante, e então, cada um trata de si, perseguem-se, guerreiam-se, despedaçam-se. Assim é o Homem; dócil e afetuoso para os seus semelhantes nas ocasiões dolorosas. Muitas vezes, duras lições se fazem precisas para que os seres se impressionem e evoluam.

    2 - A idéia de resgate coletivo pode ser utilizada em todas elas?
    Jorge Hessen: 
     Sim, todas as grandes tragédias envolvem inúmeras pessoas, e, por isso mesmo, na visão Espírita, elas são consideradas “resgates coletivos”.
    Justificativa:
    Cada um de nós carrega uma bagagem embaraçosa de vidas passadas, mas graças à Inteligência Suprema, não trazemos a culpa marcada a ‘ferro em brasa’ por toda a eternidade.

    3 - Como a Lei de destruição se aplica nesses casos?
    Jorge Hessen:  
    O que é um mal, na aparência, torna-se, em realidade, um bem.
    Justificativa:
    Do mesmo modo, quando elementos mórbidos se desenvolvem no nosso organismo, quando os micróbios infecciosos crescem de número, sobrevém uma crise e a febre se manifesta. É a luta dos infusórios bons e maus que povoam o corpo humano, até a destruição dos parasitas perigosos, e o nosso corpo readquire saúde e vigor. O mesmo se dá com o organismo social e planetário.


    4 - O livre-arbítrio poderia evitar que tal ou qual pessoa estivesse presente naquela situação?
    Jorge Hessen: 
    Sim e Não, pois foi exatamente a resultante do livre-arbítrio desta ou doutra vida que fez com que ficassem ou saíssem do cenário trágico.
    Justificativa:
    Tudo é harmonia no Universo. As aparentes contradições não fazem mais que confirmar a harmonia geral. Todas as forças da Natureza se unem, ligam-se, harmonizam-se e se não fosse Deus, estariam insuladas e divergentes. Deus nos mostra, por toda parte, a ordem e a justiça no Universo.

    Aguardamos seu contato
    Abraço fraterno
    H
    Jorge Hessen: 
    Eu é que agradeço a deferência.
    OBS. (Jorge Hessen: Parte das minhas respostas tem Léon Denis como fonte. )