BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 11 de fev de 2010

    JESUS / ESSENIOS?????


    "Onde esteve Jesus dos 12 aos 30?"
                  Lendo "Depois da Morte", de Léon Denis, em que o texto é mais extenso do que Emmanuel, encontrei a páginas tantas, a afirmação de que Jesus esteve naquela comunidade, como sempre pensei e alguns companheiros chegaram a me dizer que meu sonho influenciara minha busca.
                  Eu só dizia que o Mestre lá esteve e não que lá aprendera alguma coisa, pois não precisava aprender nada, já sabia.
                  Pelo que diz o livro de Léon Denis, eu estava certo: "Ele viveu entre os essênios" no período de sua vida entre nós em que não há qualquer referência evangélica a respeito.
                  Não que eu vá acreditar piamente no que consta de Harpas Eternas e acho até que há alguma fantasia, mas o que eu buscava era uma prova de sua presença.
                  A publicação não é da Feb e, por isso, consulto voce onde encontrar alguma coisa além dos livros de Emmanuel que citei ou do Léon Dénis. Pode me ajudar?
                  Pela racionalidade e por espírito investigativo não tenho medo de afirmar que os tres grupos maiores em Jerusalém eram os fariseus (doutores da lei), saduceus (materialistas) e os essênios (espiritualistas). Destes provêm os livros que integram a Cabala Judaica. 
                 Voce teria alguma coisa para me indicar a respeito? Nas Casas espíritas todos mantêm-se restritos aos fariseus, escribas, saduceus, mas nada dos essênios.
    Abraço fraterno




    CARÍSSIMO AMIGO,

    Não tenho outras  informações sobre os Essênios (exceto as abaixo citadas). Confesso-lhe que se um dia,  em nome do Espiritismo , fizesse algum comentário sobre (Jesus/Essênios) eu não fugiria das convicções de  Kardec , e ele escreveu o seguinte em Evangelho Segundo o Espiritismo (prólogos): "Essênios ou esseus. Também seita judia fundada cerca do ano 150 antes de Jesus-Cristo, ao tempo dos macabeus, e cujos membros, habitando uma especie de mosteiros, formavam entre si uma como associação moral e religiosa. Distinguiam-se pelos costumes brandos e por austeras virtudes, ensinavam o amor a Deus e ao próximo, a imortalidade da alma e acreditavam na ressurreição. Viviam em celibato, condenavam a escravidão e a guerra, punham em comunhão os seus bens e se entregavam à agricultura. Contrários aos saduceus sensuais, que negavam a imortalidade; aos fariseus de rígidas práticas exteriores e de virtudes apenas aparentes, nunca os essênios tomaram parte nas querelas que tornaram antagonistas aquelas duas outras seitas. Pelo gênero de vida que levavam, assemelhavam-se muito aos primeiros cristãos, e os princípios da moral que professavam induziram muitas pessoas a supor que Jesus, antes de dar começo à sua missão pública, lhes pertencera à comunidade. E certo que ele há de tê-la conhecido, mas nada prova que se lhe houvesse filiado, sendo, pois,hipotético tudo quanto a esse respeito se escreveu. (*)
    (*) A morte de Jesus, supostamente escrita por um essênio, é obra inteiramente apócrifa, cujo único fim foi servir de apoio a uma opinião. Ela traz em si mesma a prova de sua origem moderna.  Allan Kardec
    Amigo, pelo de Emmanuel , tenho como certo (salvo engano)que  ele  nada cita sobre Essênios em o livro O Consolador. E numa curto trecho na obra "A Caminho da Luz" Emmanuel cita o seguinte: "Muitos séculos depois da sua exemplificação incompreendida, há quem o veja entre os essênios, aprendendo as suas doutrinas, antes do seu messianismo de amor e de redenção. As próprias esferas mais próximas da Terra, que pela força das circunstâncias se acercam mais das controvérsias dos homens que do sincero aprendizado dos espíritos estudiosos e desprendidos do orbe, refletem as opiniões contraditórias da Humanidade, a respeito do Salvador de todas as criaturas. O Mestre, porém, não obstante a elevada cultura das escolas essênias, não necessitou da sua contribuição. Desde os seus primeiros dias na Terra, mostrou-se tal qual era, com a superioridade que o planeta lhe conheceu desde os tempos longínquos do princípio." Portanto, em que pese Leon Denis, segundo  você, ter confirmado algum tipo de "convivência do Mestre entre os Esseus"  tendo a negar (equanto historiador) esse "estágio" e ou convívio de Nazareno com os essênios. S.M.J  exceto que me apresentem um fonte primária comprovando tal "convivência". . 
    Abração meu irmão.
    Jorge Hessen


    CONTINUAÇÃO DO DEBATE:


    Caro Jorge,
                   Transcrevo o que encontrei ao final da página 80 e início da 81 do livro Depois da Morte, de Léon Denis, publicação da FEB:

                            "Nos essênios, como entre os sacerdotes de Mênfis, a iniciação é graduada e requer vários anos de preparo. Seus costumes são irrepreensíveis; passama vida no estudo e na contemplação, longe das agitações políticas, longe dos enrêdos do sacerdócio ávido e invejoso.
                             Foi evidentemente entre eles que Jesus passou os anos que antecederam  o seu apostolado, anos sobre os quais os Evangelhos guardam silêncio absoluto. Tudo o indica: a identidade dos seus intuitos com os dos essênios,o auxílio que estes lhe prestaram em várias circustâncias, a hospitalidade gratuita que, a título de adepto, Ele recebia, e a fusão final da ordem com os primeiros cristãos, fusão de que saiu o Cristianismo esotérico".
                             No parágrafo seguinte Léon é claro sobre que Jesus nada precisou aprender com os essênios, pois "o Cristo possuiauma alma bastante vasta, bem superabundante de luze de amor para nela sorver os elementos de sua missão".
                             Creio que esclareci que ali o Mestre não foi aprender nada, mas que viveu no meio da comunidade essênia.
                             Há notas de rodapé sobre as considerações de Emmanuel e de Kardec no ESE (as mesmas que voce transcreve). Não se trata de polêmica, mas de um "seria possível?".
                             Talvez seja mera curiosidade minha.
    Abraço fraterno



    meu amigo.
    Não sei qual a fonte do Denis para informar o que me envia. Como lhe disse o grande filósofo kardeciano , O Consolidador do Espiritismo pode ter se precipitado ao afirmar  o que  me enviou, pois ele não cita qual a fonte que nutriu sua convicção. 

    Pela fonte eu poderia consolidar melhor juizo. Ainda não estou convencido pelos  argmentos e razões que me enviou.
    Creio que Jesus conheceu os Essênios como conheceu os Saduceus, os Fariseus , os Nazarenos etc ,etc , etc...apenas isso!. É o que ajuizo sobre a questão.
    Se me chegar às mãos fonte mais consistente , onde historiadores se debruçaram para estudar  o suposto fato (Jesus/Essênios - uma convivência) , seeguro-lhe  como historiador que me inclinarei a aceitar essa "convivência" em meio aos esseus.
    Vamos procurar juntos?
    Um abração.
    Jorge Hessen

    Com certeza é a mesma coisa que me preocupa: fonte.
    Abraço fraterno

    ABRAÇÃO
    JORGE