BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 15 de jul de 2010

    ABDUÇÃO - CONTATOS COM ET'S E OUTRAS FANTASIAS



    Olá, caro Jorge. Como vai?
    Gostaria de comentar com você a respeito de um filme que vi e que despertou curiosidade: Contatos do 4º grau. Conhece?
    Senão, é um filme baseado em fatos, segundo se apresenta, e que se passa numa cidade do Alaska, EUA.
    Uma psicóloga trata de três pacientes desconexos entre si, mas que passam exatamente pelo mesmo trauma. Ela registra com câmera suas sessões de entrevistas, o que não deixa dúvida quanto à veracidade.
    Relata que existem basicamente três níveis de contato entre humanos e outros seres: num contato em 1º grau, ocorre a visualização de coisas estranhas ao nosso cotidiano – como sabemos, existem inúmeros relatos sobre isso; em 2º grau, há evidências dessa passagem, como marcas no solo e radiação por exemplo; no 3º, há interação com esses seres, e em 4º grau ocorre abdução, de forma dolorosa e apavorante, em que os sequestrados que desaparecem nem sempre retornam.

     

    Achei interessante comentar isso com você porque me baseio sempre na espiritualidade para buscar luz sobre as coisas da vida. Pra mim, é o fundamento da nossa existência.

    Mas esses casos deixam realmente a pulga atrás da orelha. Em se confirmando o que vemos no filme, que demonstra ser real, porque se passa como documentário, concluímos não se tratar de casos de obsessão na forma em que costumamos conceber. Esse 4º grau seria uma espécie de invasão extraterrena, desconsiderando quaisquer leis da espiritualidade.

    Grande abraço pra você.

    G..........


    Prezado ....................
                   Assisti o filme e não vi lógica confrontando com a extensa literatura espírita. Maria João de Deus, mãe de Chico, revela de forma simples e clara demais sobre vida em outros planetas, mas apenas isso. Considerando a visão macrocósmica do Universo temos plena convicção que não estamos só. O próprio Cristo nos afirmou “Na casa de Meu Pai há muitas moradas.” Sobre o filme concebo o quadro como processo obsessivo, em nível de  subjugação.
    André Luiz no livro “Mundo Maior” aborda sobre um dos primeiros magnetizadores Puysegur a descobrir  que o sono era um instrumento de encontrar no paciente outro estado consciencial que não era o do seu cotidiano. A psicóloga usava a hipnose para fazer pacientes entrar, vamos dizer,  em transe. Seus pacientes apresentavam os mesmos sintomas, a figura da coruja etc. Podemos considerar que todos entravam em uma simbiose.
    O marido parecia estar pesquisando algum  tema na área da ufologia. Talvez lidando com forças que ele não conseguiu superar, culminou suicidando-se. Provavelmente por forças espirituais que o dominaram totalmente até a mais completa hipnose. Se fizer leituras sobre obsessão constatará que esse quadro é muito bem explicado pela  Doutrina Espírita.
    A  filhinha da psicóloga acometida por uma cegueira que desapareceu por suposta “sucção extra-terrestre”, a filmagem através da viatura policial ,que tenta ilustrar aquele momento de “abdução”, contém  imagens extremamente distorcidas sem nenhuma condições de comprovação. A despeito do FBI averiguar muito o caso,  mas será que não foi eliminada em algum ritual? Não sabemos como a psicóloga neutotizada lidava com a deficiência da filha. Seu único filho homem a rejeita até hoje, e nunca depôs a favor dela.
    Nessa linha de ausência de apoio para uma “verdade” forçada até mesmo o amigo psicólogo não a apoia, talvez presenciou incorporações de adversários espirituais interpretados como  manifestações de loucura. Ela provavelmente seja  médium de efeitos físicos muito ostensiva )provocando fenômenos de (Poltergeist- termo aqui parapsicológico) situação descontrolada que influenciava até seus pacientes que sem a necessária vigilância imergiam no mesmo quadro a ponto de ficar paralítico.
    Por que seres de outros planetas viriam até nós para “sugar” pessoas, “sequestrar” , prejudicar , nos fazer sofrer? Ísso e pura SANDICE.
    O raciocínio  nos aconselha a negar esses apelos, mesmo que tenha alguém muito sofrido dizendo que passou pela experiência. Recordo que a cantora Elba Ramalho declarou que foi “abduzida” e esteve com “et’s” e não sei porque e nem de onde tira a idéia cita Chico Xavier com emoção. Podemos  desacreditar ou dar outra interpretação mais racional, desapaixonada (pé no chão mesmo!) à  luz do Espiritismo. Paulo de Tarso , o convertido na Estrada de Damasco, em o livro Paulo e Estevão, narra que na noite  que buscou o seio familiar após a grande conversão quando rumava para Síria, e o pai o rejeitou, ele procurou no campo, um lugar na estrada e em estado de profunda tristeza , amargurado,  ora e chora. Paulo não consegue descrever o torpor em que é acometido. Vê Abigail e Estevão. A noiva adorada pergunta-lhe por que o desânimo quando o trabalho está apenas iniciando  e traça um dos roteiros de viver que ele nunca mais esqueceria: Ama, Trabalha, Espera e Perdoa.
    Em suas Espístolas estaria registrado sobre o corpo astral. O que alimentamos mentalmente, atraímos forças equivalentes. A dementada psicóloga deve ter sido destruída por suas forças  desajustadas que eclodiu no momento do suícidio do marido. Com tantos problemas com filhos e pacientes teve um desfecho infeliz. Temos a oração, o trabalho, o estudo enfim, temos a opção de escolher a luz para vivermos em paz. Não deisemos nossas mentes nas nuvens das fantasias com medos de Irmãos de outros Orbes, que se vierem a nós eles virão EM MISSÃO DE PAZ E AMOR.
     
    Saudações,
    Jorge Hessen
    www.jorgehessen.net
    www.jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com
    www:leitoresdojorgehessen.blogspot.com/
    www.espiridigi.net