BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 8 de set de 2010

    COMENTÁRIO DE UM AMIGO SOBRE A MILITÂNCIA POLÍTICA E ESPIRITISMO



    Sérgio de Jesus Rossi
    rossi@correios.com.br


    Caro Jorge,
    Muito bom este artigo sobre política e doutrina.
    Concordo inteiramente, e fico “aliviado” ao confirmar que as minhas idéias abrigam ilustre companhia.
    Também considero que o espírita deve, precisa mesmo, ser “intransigente” no aspecto da pureza doutrinária, e principalmente, no comportamento.
    Um filósofo grego, anterior a Sócrates, cujo nome me escapa, já dizia que era impossível militar na política e manter a integridade de princípios.
    Claro que ele não se referia à verdadeira e elevada política, como administração da cidade (polis), mas àquela que, já então, se praticava nos ambientes do poder.
    Isso não evoluiu; a rigor, só piorou.
    Para os espíritas, sempre valerão as palavras magistrais de Kardec, pelas quais o espírita seria reconhecido, em meio aos demais, pelo seu esforço pessoal de superação das próprias imperfeições.
    E não me consta que exista algum político engajado nesse esforço . . .
    Grande abraço fraterno,
    Sérgio de Jesus Rossi