BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 27 de nov de 2010

    TATUAGENS

     
    Olá,   sou espírita, apreciador de vossos artigos.
    Gostaria de saber se há alguma análise do livro Mais Além do Meu Olhar, de Irene P Machado - Luiz Sérgio, cujo artigo abaixo (extraído de um blog) me deixou decepcionado por algumas questões.
    De qualquer forma, muito obrigado por deixar os assuntos complexos mais acessíveis a nós, público em geral.
     
    Eis o artigo:
     
     

    O vale dos tatuados

    - Quem são eles? perguntei a Juanito.
    - Os guardiões do Vale dos Tatuados.
    - Que? Vale dos Tatuados?!
    - Sim, estamos nos dirigindo para lá....
    - Jessé, mas existe tatuado boa gente. Mesmo assim ele vem para cá?
    - Não. Aqui se encontram os comprometidos. Porém, todos aqueles que estragaram sua roupa perispiritual terão de pagar ceitil por ceitil.
    - Como assim? Pode explicar?
    - O perispírito é a veste do Espírito e o corpo de carne é a veste do perispírito, quando o homem está encarnado. Se agredimos o corpo físico, o perispírito é agredido. Olhe aquele grupo ali: seus componentes tatuaram todo o corpo; corpo e perispírito foram agredidos.
    - E por que eles vieram parar aqui?
    - Eles se agrupam, fugindo das criaturas normais. Querem chocar a sociedade.
    Das tatuagens daquelas figuras saía uma fumaça escura. que muito os incomodava.
    - Gostaria tanto de falar com um deles!...
    - Que deseja, baixinho? Enturmar-se a nós, “os vampiros da corte”?
    - Não, amigo, queremos apenas perguntar por que vocês vieram parar aqui. Não queremos acreditar que os tatuados tenham um lugar específico.
    - Não, claro que não. Somos livres para ir a qualquer lugar, do inferno ao céu, porém aqui não somos incomodados, a não ser pelos guardas do cordeiro. Mas até eles são valiosos, pois trazem comida e levam os debilitados para os hospitais.
    -Quando vocês desencarnaram, arrependeram-se de ter acabado com a pele do corpo físico? Vimos que o irmão está todo tatuado.
    Ele olhou o seu corpo e falou:
    - Curti, certo? E continuarei curtindo as pinturas feitas na minha pele, mesmo que hoje elas me queimem o Espírito.
    - Como? Queimam seu Espírito?
    - Claro, seu trouxa. Aí é que mora todo o mal. Dizem os filhos do Homem que nós agredimos o nosso perispírito e só fazendo boas ações veremos apagadas todas essas estampas. Assim dizem eles – falou, dando risadas. – Será que hoje, conversando com você, baixinho, não vou ter uma parte das minhas tatuagens apagada, da qual eu gostaria de me livrar de vez?
    Nada respondi...
    ...Fomos saindo. quando já estávamos quase na porta, uma jovem segurou minhas pernas e implorou:
    - Limpe, moço, limpe do meu corpo perispiritual isto aqui.
    Olhei-a e vi a figura de satanás batendo no Cristo.
    - Por que você fez isso? perguntei, chocado com aquela visão.
    - Para chamar a atenção. Depois dessa tatuagem, ganhei a liderança do grupo. Apague-a, filho do cordeiro, apague-a, pelo amor de Deus!
    Camélia aproximou-se e falou:
    - Você deseja ser ajudada?
    - É o que mais quero. Ajude-me, estou farta disso tudo.
    - Está bem, acompanhe-me.
    Desejei ir junto, porém fui barrado pelo guarda. Camélia e a jovem misturaram-se aos outros, depois não as vimos mais. Só quando já estávamos fora dali Camélia juntou-se a nós.
    - E a jovem, não veio?
    - Não Luis Sérgio, ela ficou no hospital.
    Hospital de onde? Existe hospital aqui?
    - Sim, nas proximidades, e presta auxílio quando querem ser ajudados. Porém, difícil é desejarem.
    -Será que um dia isso vai acabar?
    - Sim, com a regeneração da Terra.
    - Será que não existe um meio de conter o desequilíbrio da alguns jovens, com palestras, conselhos, enfim, fazer algo por eles?
    Irmão, a família é que tem de se fortalecer. Entretanto, existem muitas mães de família que acham linda a tatuagem.
    Recitei a passagem de Levitício, 19.28:
    Não vos façais incisões no corpo (...), nem marcas da tatuagem. (...)
    -Quantos ensinamentos a Bíblia contém e como são atuais seus escritos! O que seria bom era surgir um alerta para o malefício da tatuagem.
    Luiz, se até hoje encontramos quem defenda o tóxico, imagine as tatuagens, que muitos julgam inofensivas!...Livro: Mais Além do Meu Olhar
    Irene P Machado – Luiz Sérgio
     
     
    Caro amigo V................
    Muito obrigado pela atenção.
    Seus questionamentos me remetem também às pessoas que usam vários brincos, piercings e outros adereços. Alguns referem à possível mutilação espiritual por causa desses penduricalhos. Creio, porém, que o perispírito é potencialmente lesado pela defecção moral, desequilíbrio emocional que leva a suicídios diretos e indiretos, vícios físicos e mentais, rancores, pessimismos, ambição, vaidade desmensurada, luxúria. Ferimos o corpo espiritual da mesma forma quando prejudicamos nosso semelhante através da maledicência, da agressividade, da violência de todos os níveis, da perfídia, portanto os adereços, considerando essas atitudes, afetariam menos ou quase nada o perispírito, segundo cremos.
    Lembremos que muitos desses adereços que prejudicam o corpo físico podem ser revertido, ainda na atual reencanação e obviamente não repercutirá no perispirito. Talvez possa eventualmente ocorrer seqüelas na auto-estima, como diz  Simonetti em suas reflexões:
    “Lamentará o Espírito a vaidade pretensiosa que, buscando originalidade, o fez regredir à taba.
    Muitas pessoas, retornando ao plano espiritual, podem optar por usos dos adereços citados acima. Segundo André Luiz, os desencarnados podem, sob o ponto de vista fluídico, moldar mentalmente e de maneira automática, no mundo dos Espíritos, roupas e objetos de uso e gosto pessoal. Destarte, é perfeitamente possível, embora lamentemos que um ser no além-túmulo permaneça condicionado aos vícios, modismos e tantas outras coisas fúteis da sociedade terrena.
    No que concerne às tatuagens, entretanto, somos de parecer que por ser um tipo de adereço permanente, vão inevitavelmente ocasionar conflitos mentais. A começar na atual encarnação quando chega o momento em que o tatuado vai se arrepender, após ter mudado de idéia, em relação ao escopo da tatuagem. Imaginemos que seja o nome, o desenho ou algum símbolo de alguém que já não ama, ou qualquer outra figura que já não aceita em seu corpo. Então,  o que era um mero adereço (enfeite), acaba "cansando a estética (beleza)" e torna-se um problema pessoal  de complexa solução.
    Diante disso,  por que a pessoa se permite tatuar? Em verdade  nas culturas primitivas era usava com finalidades mágicas, para evocar a interferência de divindades, para o bem ou o mal. Hoje é, para muitos indivíduos, uma espécie de ritual de passagem, envolvendo a integração num grupo. Pode ser também de identificação. Pela tatuagem a pessoa está dizendo algo de si mesma. Há psicólogos que vêem na tatuagem um dos caminhos para entender a personalidade humana.
    Quanto às tatuagens,  elas podem permanecer no perispírito, após a desencarnação. Muitos se tatuam no mundo espiritual,  porém aos que fazem tatuagens no além-tumba só podemos lastimar que ainda conservem hábitos tão primitivos, após a morte.

    Abs
    Jorge Hessen