BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 4 de dez de 2010

    CORPO CAUSAL E MENTAL


    Jorge, admiro a lucidez de seus artigos e aprendo muito contigo. Agora gostaria de pedir que me auxilie, faço uma releitura do livro Evolução em Dois mundos e preciso de material que me esclareça a questão dos corpos causal e mental citados nessa obra. Agradeço a atenção.
    Abraço fraterno.

    Querida irmã I,
    Em verdade Andre Luiz ao descrever suas primeiras experiências no mundo espiritual, permite que se deduza a existência de um outro corpo ligado ao corpo astral. Quando sua mãe o visitou, estando ele em tratamento no Ministério do Auxílio, necessário lhe foi passar pelos Gabinetes Transformatórios do Ministério da Comunicação. Por outro lado, como vivesse ela cm zona superior, só pôde visitá-la durante o sono, e, para tanto, teve que aproveitar o ensejo do repouso após o serviço nas Câmaras de Retificação, quando se desprendeu em outro corpo (mental), amparado por Espíritos amigos : "O sonho não era propriamente qual se verifica na Terra. "Eu sabia perfeitamente que deixara o veículo inferior na apartamento das Câmaras de Retificação, na colónia espiritual Nosso Lar, e linha absoluta consciência daquela movimentação em plano diverso" . André Luiz faz uma referência expressa ao corpo mental em Evolução em Dois Mundos , afirman­do que o perispírito ou corpo espiritual "retrata em si o corpo mental que lhe preside a formação", isto é, "o envoltório sutil da incute". Esclareceu André Luiz que, na falta de terminologia adequada, ficava impossibilitado de defini-lo com maior amplitu­de de conceituação, além da que tem sido utilizada pêlos pes­quisadores.
    André Luiz reporta-se ainda ao corpo causal, como sendo a "roupa imunda", "tecida por nossas mãos, nas experiências anteriores". Assim sendo, verificamos que o corpo causal é o ponto de registro, o banco divino, onde se encontram os nossos débitos e os nossos créditos, e que se, presentemente, é ainda uma roupa imunda, isto ocorre por desídia nossa, pois a tarefa reencarnatória se destina a "nos purificarmos pelo esforço da lavagem", tarefa que, na maior parte das vezes, não empreendemos.
    As explicações são do Espírito Lísias, visitador dos serviços de saúde: "Imagine, explicava Lísias, que cada um de nós, renascendo no planeta, somos portadores de um fato sujo, para lavar no tanque da vida humana. Essa roupa é o corpo causal, tecido por nossas mãos nas experiências anteriores" (idem). Os hindus denominam-no kâranakosha (corpo causal) ou anandamaykosha (corpo de bem-aventurança), o corpo de luz, naturalmente porque se reportam a ele quando devida­mente depurado.
    Essa pluralidade de corpos invisíveis corresponde ao que sabemos a respeito através de outras religiões e filosofias. A sequência de rarefação dos corpos torna-se compreensível, se atentarmos para a diversidade de planos espirituais, bem como para o fato de que as zonas espirituais devem ser formadas de distintas matérias e que os corpos devem ser consentâneos com elas.
    A questão que se coloca, é de saber-se o motivo pelo qual André Luiz teria preferido utilizar o termo perispírito para designar apenas um desses corpos, sem dar, portanto, um sentido amplo ao mesmo. Provavelmente, porque o que se designa por perispírito é exatamente o corpo astral que se revela nos lances da clarividência, e por ser essa a matéria sutil com a qual o Espírito se individualiza após a perda do corpo físico nas zonas mais próximas! à Terra. Qualquer que seja a preferência na utilização da terminologia, é necessário estar atento, na leitura de André Luiz, para essa particularidade, bem como deixar claro, em qualquer exposição, o significado do termo.
    OBS> CORPO MENTAL: Por revestir todas as camadas do inconsciente, representaria o envoltório da mente ou espírito propriamente dito. Com isso, seria zona possuidora, em grau elevado, de todas as características funcionais do superconsciente e zona divisória entre o mundo espiritual e material. Bem claro que para esta zona vibratória atingir a matéria ainda existiriam camadas adaptatórias, campos vibracionais específicos, descritos como sendo o psicossoma e o duplo etérico.
    Abração
    Jorge Hessen