BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 22 de mar de 2011

    CONVERSA SOBRE DOUTRINAS RITUALÍSTICAS

      
    CARO JORGE. TUDO BEM?
    Como dito anteriormente, nem tudo que leio sobre o espiritismo tenho como verdade. Já comentei com vc. da dificuldade que tenho em aceitar tudo o que vem de Kardec, e os contraditos não são poucos sob a minha ótica. Narrei pvc. o estado em que me encontrei qdo. fui acometido de grave doença, da presença constante dos espíritos.
    Não sei se por deficiência ou certeza de equívocos dentro da doutrina espírita kardecista, repilo certas colocações sobre a reencarnação, tão pouco tenho a doutrina como acabada. Para mim, o Espírito da Verdade ainda é um mistério.
    Quanto as colocações do sr. Divaldo, peço venia para considerá-lo despreparado qdo. fala dos pretos-velhos, em síntese, da Umbanda.
    Nos comentários postados pelos internautas, verifica-se que quase 50% referem-se ao seu despreparo qto. ao tema. Falta-lhe ainda um mínimo de reflexão e humildade.
    Já comentei também. que o kardecismo não pode colocar-se como o ápice da verdade nas questões reencarnatórias.
    Todos os que vivem nesse planeta, ainda possuem um conhecimento empírico das coisas.
    uma pergunta não quer calar: Até onde vai o animismo dentro de quaisquer das práticas espirituais. Será que a facilidade com que os doutrinadores têm para mostrar para o ente que se manifesta na mesa, através do "médium" que ele já está desencarnado e que olhe o seu corpo decomposto é factível?
    Só como exemplo que não é tão fácil assim, vamos reler Sexo e Destino.
    Fico muito triste qdo. assisto aos vídeos que não traduzem a humildade do saber, a certeza das colocações, e ainda, o deboche.
    Se vc. achar por bem responder-me fico agradecido.
    Um abraço.



    Meu irmão
    Sussurra o bom senso que quanto mais estudamos alguma coisa mais aprendemos sobre essa coisa. No caso do espírita, quanto mais debruçamos sobre as obras de Allan Kardec mais aprendemos .  Com o mestre de Lyon aprendemos a interpretar com muito maior profundidade os fenômenos da vida e do viver.
    Ressalte-se que em nenhum momento Kardec impõe os preceitos espiritas a qualquer um de nós. É  adepto de Espiritismo quem espontaneamente quer ser, damesma forma que se é umbandista, quimbandista, praticante de candoblés e outros credos assemelhados quem quer, todavia cada coisa no seu devido universo de conhecimento e prática.
    Não há como compatibilizarmos quaisquer rituais e cultos externos , como soi ocorrer com os prarticante de tais crenças , com as propostas espíritas. Quem é umbandista, por exemplo , e pratica os preceitos que ela sugere - ÓTIMO! porém não há como anuirmos que tais adeptos adentrem nas hostes espíritas e imponham suas ideologias ritualisticas , pois são  discordante com os preceitos da Terceira Revelação, portanto cada qual com as suas convicções.
    Sou Espírita há mais de 35 anos e desconheço muita coisa que o Espiritismo ensina, ora, se eu que estudo  espiritismo diariamente , há  mais de tres décadas , ainda ignoro muita coisa, não seria um irmão que se apresenta atavicamente como  preto ou preta velha , que ousará ensinar-me  Espiritismo. Por outro lado ,  do pouquinho que aprendi,  a razão dirá em alto e bom som que  tenho muito a ensinar a tais entidades sobre ESPIRITISMO.
    Gosto muito das suas cartas virtuais , porém por um dever de consciência,  devo afirmar-lhe que atualmente um dos mais graduados conhecedores de Allan Kardec em nível mundial é , sem dúvida nenhuma, DIVALDO FRANCO.
    Receba um abraço com votos de paz!
    Jorge