BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 29 de mar de 2011

    FUNÇÕES ORGANOGÊNICAS DO PERISPIRITO


    Amigo Jorge,
    Muita paz !
    Estou lendo um livro muito interessante. Chama-se "A VIDA IMORTAL DE HENRIETTA LACKS". Um dos best-sellers do New York Times. Aborda a história de uma norte americana negra que teve células de seu tumor cervical extraído para pesquisas, sem que essa soubesse. Ficaram mundialmente conhecidas como células HeLa, desde o ano de 1951. Certamente você deve ter conhecimento sobre as mesmas. Dentro de seu estudo médico-espírita, você conhece alguma abordagem sobre esse assunto? Fiquei intrigado, já que as mesmas estão "vivas" e sendo cultivadas e reproduzidas em laboratórios há 60 anos. Gostaria de ampliar meu conhecimento, abordando essas células com nossa noção de perispírito, fluído vital e sua relação direta com a vitalidade de tais células.
    Grande abraço !
    M..........




    Caro M...........
    Bom amigo.
    Escrevi sobre a estrutura funcional do perispirito e no texto procuro demonstrar que, por ausência de instrumentos e equipamentos de laboratório, a ciência humana ainda está muito distante de conhecer e melhor entender a estrutura de funcionamento do psicossoma. Alguns embriogenistas contemporâneos , por exemplo, "desconfiam" da existência desse princípio e tentam, de alguma forma, comprovar essa desafiadora "idéia diretriz" no mecanismo da geração orgânica. Para nós, o psicossoma tem função organogênica. Por isso , permite a formação do próprio organismo e funciona em harmonia com os códigos genéticos. Por esta razão, na sua ausência, o processo de fecundação seria uma composição orgânica sem forma definida (amorfa). Tudo isso eu digo no artigo e acrescento que que o espírito, através do perispírito, "influencia o citoplasma (sede das forças fisiopsicossomáticas), juntamente com as funções endocrínicas, por estar fixado no sistema nervoso central e enraizado intrinsecamente no sangue, sendo o modelador definitivo da célula.
    Para responder-lhe sobre as células "HeLa", aprendemos com os mentores que se forem colocados fragmentos de tecidos orgânicos da epiderme ou do cérebro numa porção de soro em temperatura ideal, o fragmento acusa uma intensa vida. Depois de algumas horas, os produtos da excreta intoxicam o soro, impedindo, com isso, o desenvolvimento celular. Renovando o soro, as células crescem novamente. Porém, sem o governo mental, através do perispírito, em nada ficam sequer parecidas com as suas irmãs em funções orgânicas. Em verdade as células estão vivas há tanto tempo apenas sob o influxo das leis biológicas (bem mecanizadas) e não irão além dos limites que a matéria permite. Porém, se houvesse uma influência perispiritual o principio vital (elo de ligação entre corpo físico e perispirito) o fragmento em análise já teria dado respostas intrigantes e revolucionárias para a ciência.
    Um dia a ciência do Espirito haverá de assumir seu papel definitivo nas academias e com isso a sociedade humana mudará totalmente sua trajetória de vida.
    Grande abraço
    Jorge Hessen