BLOG E SITES

  • LEITORES
  • 28 de jun de 2011

    QUANDO IDENTIFICAMOS UM MAL DEVEMOS TAPAR NOSSOS OLHOS E FINGIR QUE NADA VEMOS?


    Perfeito, Jorge.
    Parabéns pela sua nobre luta a favor do espiritismo verdadeiro. Chico Xavier foi muito claro na entrevista publicada no Livro Encontros no Tempo, quando advertiu a todos sobre as direções equivocadas dadas ao espiritismo. Qual médium teria autoridade moral maior que ele para nos alertar quanto ao elitismo e à exploração da Doutrina, nas diversas formas? Ele que vivenciou tudo o que ocorria no movimento espírita, sofrendo a incompreensão de muitos, jamais se furtou a esclarecer sobre os princípios que abraçava e sobre os quais, por sublime missão, lutou para difundir.

     Qual médium melhor representou a Doutrina de Jesus e, por isso mesmo, com a luz que o iluminava, pôde falar a todos os responsáveis pela divulgação dos ensinamentos espíritas? Jesus também foi enfático, não vacilou e usou de toda firmeza quando viu a palavra pura e simples sendo desvirtuada pela exploração da fé. Os ensinamentos preciosos nos foram dados para que aprendamos a colocá-los em prática. 

    Quando identificamos um mal devemos tapar nossos olhos e fingir que nada vemos? Quando existe uma doença devemos tratá-la como? Ignorando-a? E quanto ao raciocínio, que nos torna responsáveis perante os outros, perante nós mesmos e perante Deus? Não foi a postura omissa que guiou nosso querido Chico, aquele que melhor representou a mediunidade com Jesus. Nem foi a imprudência que nos foi recomendada pelos espíritos benfeitores, que ensinam que " a fonte pode ser volumosa ou escassa, reta ou sinuosa(...)tudo dependendo da estrutura, do clima, do solo ou das circunstâncias em que se movimente.(...)mas, se nessa ou naquela fonte aparecem culturas do esquistossomo, é necessário que o raciocínio intervenha e, para o bem geral, lhe impeça o uso"(Emmanuel). 
    Já que não desejamos que o espiritismo se converta em mais uma seita que se sustenta nos mesmos erros que nos levaram ao sofrimento e à ilusão, por séculos e séculos, busquemos remover o mal antes que ele produza maiores danos e não nos esqueçamos das preciosas advertências de Chico, nosso mais querido e respeitado médium.